Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer é parceira em teste de 23 variedades de mandioca em Brasnorte

Sônia Maria Durval Trindade (Empaer)

Divulgação
A | A

A Empaer participou em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Prefeitura de Brasnorte da avaliação técnica de 23 variedades de mandioca, das quais 18 são variedades em fase de teste da Embrapa Cerrados de Brasília, e 5 variedades locais. O evento aconteceu entre os dias 13 e 17 de dezembro.

O experimento foi implantado em 2015 na comunidade rural Corão localizada no Projeto de Assentamento Tibagi em Brasnorte (550 km a noroeste de Cuiabá). O experimento foi implantado e avaliado com acompanhamento da pesquisadora Suzinei Oliveira da Embrapa Agrossilvipastoril e conduzido pela Empaer e Secretaria Municipal de Agricultura de Brasnorte.

O engenheiro Agrônomo da Empaer, Robson Vicente de Almeida Lobo explica que o intuito destes testes de variedades é identificar, das 23 variedades, qual será a mais adaptada à região. “Estão sendo avaliados todos os aspectos da planta, como produção, teor de amido, facilidade de colheita, resistência a doenças, dentre outros”, explica.

Robson afirma ainda que das variedades testadas, são todas para a indústria e impróprias para consumo humano e as da comunidade são mandiocas de mesa. A Comunidade do Corgão foi escolhida para sediar estes testes porque lá existe uma farinheira que se encontrava fechada. Com a implantação do experimento, com participação ativa da comunidade, a farinheira voltou a funcionar e mesmo sem a identificação das variedades mais indicadas pela pesquisa, os produtores já notaram a diferença.

Para Robson, o experimento é de grande importância para a agricultura familiar, que tem na mandioca uma boa fonte de renda e agradece a participação dos parceiros, que através do secretário de Agricultura Roberto Marcelo e sua equipe, apoiaram ativamente todas as ações.

A produtora Dilma Martins da Silva explica que a farinha melhorou muito, é mais branca, tem sabor melhor e mais polvilho, ou seja, amido.

Para o prefeito da cidade Mauro Rui Heisler, os testes são imprescindível para os pequenos produtores não errem no plantio da variedade correta.

Os técnicos informam que o experimento será repetido mais uma vez para a confirmação dos resultados e esperam que ele sirva para ajudar orientar os produtores, indicando as melhores variedades de mandioca para a indústria para o estado.