Pular para o conteúdo
Voltar

URT de Banana instalada pela Empaer incentiva o cultivo em São Félix do Araguaia

Rosana Persona | Empaer

Empaer
A | A

No município de São Félix do Araguaia (1.200 km a Nordeste de Cuiabá), foi implantada uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) para avaliar o desenvolvimento da cultura da bananeira. O experimento foi montado na chácara Granja Azevedo, na propriedade do produtor rural Domingos Azevedo Neto, numa área de um hectare. Foram plantados cinco genótipos de bananeira e 600 mudas micropropagadas, ou seja, produzidas no laboratório da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), oriundas da cidade de Cruz das Almas no Estado da Bahia.

O extensionista rural da Empaer, Marcondes Monção de França, explica que a URT tem como objetivo identificar cultivares de banana da terra, maçã, nanica, prata e prata anã com características agronômicas e comerciais que possam ser recomendadas aos agricultores familiares. Ele destaca que a unidade de observação é um local para visitação de agricultores interessados no cultivo da banana, bem com desenvolver ações de transferência das tecnologias geradas aos agricultores interessados em diversificar os seus cultivos.

A finalidade da Unidade é viabilizar a produção com aplicação de técnicas corretas de cultivo e seleção dos melhores materiais produtivos. Durante a implantação da URT foram feitas todas as recomendações técnicas como análise de solo, correção de solo, preparo de solo, marcação da área, abertura de covas, plantio, tratos culturais e outros. O extensionista França enfatiza que no final de 2018 será feito a seleção dos materiais com maior produtividade no município.

Com investimento na ordem de R$ 12.700,00 o projeto para implantação da Unidade contou com a liberação de recursos da Empaer no valor de R$ 7.200,00 e a contrapartida do produtor Domingos, na ordem de R$ 5.500,00. A URT foi implantada em 2016 com as seguintes variedades: D’ angola (terra), Vitória (prata), Fhia 18 (prata anã) Princesa (maçã) e Willians (nanica).

De acordo com Marcondes, na década de 80 a cultura  da banana era plantada em grande escala no município, chegando a  ser exportada para outros estados. Com o aparecimento das doenças, principalmente, do Mal-do-Panamá e Sigatoka Amarela e Negra, foram desaparecendo essas lavouras. Hoje, 90% da banana consumida no município e região vêm de Goiás. “Esse projeto visa trazer materiais resistentes às doenças e com alta produtividade, e está despertando de novo a vontade dos agricultores do município e região em começar a cultivar a cultura”, esclarece França.

Numa área de 2,7 hectares, o produtor rural Domingos começa a diversificar com o cultivo de mamão formosa e mandioca. Empolgado com a tecnologia aplicada no cultivo da banana, o produtor plantou 160 pés de mamão e meio hectare de mandioca para consumo in natura. “Plantar com as técnicas recomendadas pelos técnicos da Empaer é diferente e o resultado será o retorno econômico”, enfatiza.