Pular para o conteúdo
Voltar

Agricultores buscam informações sobre a DAP para acessar o crédito do Pronaf

Agricultores buscam informações sobre a DAP para acessar o crédito do Pronaf
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Para acessar o crédito rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), produtores do assentamento Gleba Resistência, localizada no município de Santo Antônio de Leverger (34 km ao Sul de Cuiabá), estiveram reunidos com o secretário de Desenvolvimento Sustentável do município, Hamilton José e Silva e Supervisor da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural, Edson Benedito da Silva, para mais esclarecimentos sobre a DAP- Declaração de Aptidão do Pronaf, que é utilizada como instrumento de identificação do agricultor. O secretário Hamilton, esclarece que as famílias do assentamento esperam recursos para realizar benfeitorias na propriedade e também necessitam da DAP para facilitar a comercialização dos produtos nos mercados atacadistas. O Tesoureiro da Associação de Produtores Rurais da Gleba Resistência, Joaquim Antônio da Costa, fala que aproximadamente 25 produtores estão interessados em aderir ao crédito rural. O agricultor, Limirio de Moura Neto, possui quatro tanques de peixe e pretende dobrar a produção com a construção de mais quatro tanques para recria e engorda de alevinos. Numa área de 25 hectares, possui também como fonte de renda, a pecuária leiteira, com um plantel de sete cabeças de gado e produção diária de 25 litros de leite. “Estou interessado nas orientações sobre o crédito e o recurso que poderá ser financiado”, destaca Neto. O supervisor da Empaer, Edson explica que no assentamento existem mais de 80 famílias, que possuem lotes de 10 a 25 hectares de terra, alguns possuem a DAP e outros serão cadastrados com o objetivo de acessar as políticas públicas do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A produtora rural, Juliana Ferreira da Silva trabalha na propriedade de sua mãe, Isabel Ferreira da Silva, que possui uma área de 16 hectares e produz pocan, laranja, lima da Pérsia e hortaliças. Somente o pomar ocupa uma área de 6 hectares, considerada a principal fonte de renda da propriedade. A produtora Juliana, ressalta que necessita da Declaração de Aptidão para comercializar a produção na feira do verdão e implantar um sistema de irrigação para produzir frutas duas vezes ao ano. Ela tem uma parceria com o produtor Gilmar Costa da Silva e cultivam quase dois hectares de quiabo, e estão preparando o solo para plantar brócolis e couve-flor. “Estamos animados e o nosso grande incentivo no momento é o crédito fundiário que facilita o acesso as tecnologias para cultivar o ano todo”, enfatiza Juliana. A reunião aconteceu no centro comunitário da Gleba resistência, na última terça-feira (16.07), com a presença de 15 produtores rurais. O assentamento fica distante do município 75 quilômetros.