Pular para o conteúdo
Voltar

Agricultores familiares investem no cultivo do maracujá em Tabaporã

Agricultores familiares investem no cultivo do maracujá em Tabaporã
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
No assentamento Nova Fronteira, no município de Tababorã (643 km a Médio-Norte de Cuiabá), o agricultor familiar, Irinaldo José de Oliveira, investiu no cultivo do maracujá e está contente com a cultura que já rendeu em 1,5 hectares, aproximadamente R$ 40 mil por ano. O Plantio comercial na região começou em 2009, com apenas 40 famílias de produtores rurais em busca de uma nova alternativa de renda e hoje mais de 100 produtores estão cultivando a cultura numa área de 75 hectares, com uma produção estimada em 1.800 toneladas/ano e uma produtividade média de 24,4 toneladas por hectare. Proprietário de uma área de 62 hectares, o produtor Irinaldo cultiva soja, tem gado de leite e está retirando sua maior renda no cultivo do maracujá. Ele supera a média da região e produz 35 toneladas de maracujá por hectare. Toda produção é comercializada numa indústria de polpa, localizada no município de Sinop (500 km ao Norte da capital), por R$ 0,70 a R$ 0,95 o quilo do maracujá. “Comecei o plantio do maracujazeiro em 2011 e hoje me sinto bem e calmo, seja plantando ou tomando o suco do maracujá”, brinca Oliveira. Com o cultivo irrigado, a lavoura com a variedade maracujá Gigante Amarelo produz de oito a dez meses por ano. O extensionista da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Antonio Sérgio Faustino da Silva, fala que os primeiros plantios de interesse comercial surgiram nos assentamentos Mercedes I e II. Atraídos pelos bons resultados outros agricultores familiares estão apostando na cultura. Ele explica que os produtos selecionados com padrão de mercado são vendidos “in natura” por até R$ 3,50 o quilo . A expectativa é ampliar a área plantada do maracujazeiro e diversificar o plantio com outras frutíferas como abacaxi, acerola e etc. “O maracujá é uma planta de clima tropical e está em franca expansão tanto para a produção de frutas para consumo "in natura" como para a produção de suco”, destaca Antônio. Devido às suas propriedades terapêuticas, o maracujá tem valor medicinal, as folhas e o suco contêm passiflorina, um sedativo natural e o chá preparado com as folhas têm efeito diurético. O fruto é utilizado na alimentação humana, na forma de sucos, doces, geléias, sorvetes e licores. E é rico em vitamina C, cálcio e fósforo. Popularmente conhecido como a fruta da tranquilidade. Pesquisa Com o objetivo de selecionar genótipos produtivos de maracujá, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parceria com a Empaer implantaram no Centro Regional de Pesquisa e Difusão de Tecnologia da Empaer, no município de Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá) unidades de validação com cinco cultivares de maracujá, a Rubi, Sol do Cerrado, Amarelo Gigante, FB 300 e FB 200. No município de Brasnorte (579 km a Noroeste de Cuiabá), foi implantada a Unidade de Referência Tecnológica (URT), na área do produtor rural, Wanderley Sjydlovski, com a finalidade de capacitar agricultores por meio de demonstração de métodos, visitas técnicas e dia de campo. O projeto será avaliado durante dois anos e está previsto para encerrar em 2016.