Pular para o conteúdo
Voltar

Agroindústria beneficiará 500 agricultores familiares em Peixoto de Azevedo

Agroindústria beneficiará 500 agricultores familiares em Peixoto de Azevedo
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
O Assentamento rural Cachimbo, localizado no município de Peixoto de Azevedo (691 km ao Norte de Cuiabá), no distrito União do Norte, foi contemplado com uma despolpadeira de frutas com capacidade para produzir 150 quilos de polpa por dia. O técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Itamar de Andrade, fala que a instalação da agroindústria beneficiará 500 produtores rurais na produção de polpa de manga, cupuaçu, açaí, goiaba, buriti, cajazinho e outros. Os produtos serão vendidos para a merenda escolar, comércio local e capital. A nova agroindústria recebeu recursos na ordem de R$ 40 mil do Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Agropecuário (Prodesa), para construção do prédio e aquisição de equipamentos. A Secretaria de Desenvolvimento Rural é a gestora do Programa e a Empaer ficou responsável pela elaboração do projeto e assistência na execução da agroindústria. Participam também, as prefeituras municipais e organização de agricultores. Aproveitando as culturas nativas da região, a Empaer está instalando unidades demonstrativas com o plantio de manga da variedade coquinho, consorciada com açaí e cupuaçu. Segundo Itamar, a Cooperativa Agropecuária Mista de Terra Nova do Norte (Coopernova) trabalha com a aquisição de polpas e está pagando o quilo da polpa da manga a R$ 0,32 e R$ 1,50, o quilo do cupuaçu. “Os produtores têm alternativas para comercialização da polpa, seja para a merenda escolar, comércio local ou grandes centros”, destaca Andrade. A Associação Renascer, articulada pelo produtor rural, Ambrósio Pereira de Carvalho, juntamente com a comunidade identificaram a necessidade de verticalizar a produção, permitindo maior agregação no valor final do produto, e conseqüentemente maior renda para o agricultor familiar. Para participar do Programa da Agroindústria é preciso entrar com o projeto por meio de associações, cooperativas ou prefeituras. O Técnico da Empaer, Itamar acrescenta que a agroindústria estará em funcionamento no mês de junho. O prédio será construído para abrigar a máquina despolpadeira e garantir uma nova fonte de renda para os produtores. “Espero que a comunidade e região saibam aproveitar este equipamento e que venha para ajudar no desenvolvimento da região”, esclarece Andrade. AGROINDÚSTRIA FAMILIAR Foram elaborados mais de 353 projetos para instalação de agroindústrias familiares em 138 municípios do Estado, totalizando recursos na ordem de R$ 13 milhões do MAPA e do Prodesa, aplicados na construção de bases físicas e aquisição de equipamentos. O engenheiro agrônomo da Empaer, Márcio Gaio, que participa da elaboração dos projetos, declara que a demanda está entre as duas maiores cadeias produtivas, a do leite e mandioca. Segundo Márcio, foram elaborados projetos para implantação de resfriadores de leite, farinheiras, beneficiadoras de arroz e milho, frigorífico para abater peixes, fábrica de ração, processamento de cana-de-açúcar, casa de mel, empacotadora de café orgânico e outros. Cada empreendimento atenderá no mínimo a 10 famílias, Essa é uma experiência de aplicação de recursos não reembolsável, que vem atender a real demanda dos agricultores familiares.