Pular para o conteúdo
Voltar

Agroindústria de Poconé recebe prêmio por desenvolver atividade sustentável

Agroindústria de Poconé recebe prêmio por desenvolver atividade sustentável
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Com uma produção diária de 300 quilos de produtos orgânicos derivados da cana-de-açúcar, rapadura, melado e açúcar mascavo, a primeira agroindústria coletiva, localizada no município de Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá), recebeu o troféu “Prêmio Valores do Brasil”, entregue pelo Banco do Brasil por cumprir a função de empresa de desenvolvimento regional sustentável. Instalada há três anos, a indústria tem garantido a renda de 15 associados. Os produtos são vendidos para merenda escolar da prefeitura municipal de Cuiabá e comércio da região. Com investimento na ordem de R$ 340 mil, do Banco do Brasil, para construção da sede e aquisição de equipamentos e veículo. O presidente da Associação de Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Imbé, Milton Gonçalves de Souza, explica que em anos anteriores todos os associados trabalhavam como empregados e hoje, a maioria trabalha para a agroindústria que paga mensalmente um salário mínimo aos sócios. Para garantir o funcionamento da empresa o ano todo, foi plantado 20 hectares de cana-de-açúcar e toda produção é para moagem. Conforme Milton, o empreendimento mudou a rotina dos pequenos produtores oferecendo maior qualidade de vida e promovendo lucro e renda para as famílias rurais. A indústria trabalha de forma sustentável, um exemplo disso é a utilização do bagaço da cana, que é queimado na caldeira reduzindo o uso de madeira para produção do açúcar. As instalações são adequadas com equipamentos para produção industrial e adoção de Boas Práticas de Fabricação (BPF), com higiene e utilização de equipamentos de proteção individual para manipulação dos produtos. O sócio da agroindústria, Paulo Leandro Pereira de Souza, lembra que não era fácil plantar e colher na roça, eram dias de muito trabalho e incertezas. Agora ele trabalha na indústria e recebe um salário por mês que ajuda a pagar as despesas e até já comprou uma motocicleta. “Estou muito feliz com essa oportunidade. Trabalho com prazer já que o negócio é de todos e a intenção é fazer a indústria crescer sempre”, salienta, Leandro. O supervisor regional da Empaer em Poconé, José Daniel Dalri e o engenheiro agrônomo, Márcio Gaio, relatam que a Empaer auxiliou os produtores rurais na implantação, aquisição de equipamentos, elaboração de projetos de créditos, formação das lavouras sem aplicação de agrotóxicos e na conclusão da obra. Conforme Daniel, com o desenvolvimento da agroindústria, o poder aquisitivo das famílias mudou ,possibilitando diversos investimentos como a melhoria das casas e compra de veículos e motos. “Os produtores receberam treinamento para manusear os equipamentos, administrar a agroindústria, comercializar os produtos de acordo com as normas vigentes da legislação em vigor”, destaca Dalri. Os sócios pretendem expandir os negócios vendendo também para a merenda escolar do Estado. Os produtos comercializados são a rapadura com o peso de 0,250 gramas por R$ 0,30 a unidade, o quilo da rapadura é vendido por R$ 3,40, o açúcar mascavo por R$ 4,50 e o melado R$ 3,00 o quilo. O troféu Prêmio Valores do Brasil foi entregue em dezembro de 2012, numa solenidade realizada em Brasília (DF).