Pular para o conteúdo
Voltar

Agroindústria vai processar açúcar mascavo orgânico em Poconé

Agroindústria vai processar açúcar mascavo orgânico em Poconé
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Foi inaugurada no município de Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá), a primeira agroindústria coletiva de produtos orgânicos derivados da cana-de-açúcar, tais como, rapadura, melado e açúcar mascavo. Com recursos do Banco do Brasil, na ordem de R$ 240 mil, para construção da base física e aquisição de equipamentos, a empresa vai produzir de 300 a 500 quilos de açúcar por dia e favorecerá 15 famílias da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Imbê que trabalhavam de forma artesanal e passam a produzir de acordo com as normas vigentes da legislação em vigor. Para atender a agroindústria, os produtores da comunidade Imbê plantaram 16 hectares de cana-de-açúcar, que será colhida no mês de maio, período que entra em operação a agroindústria. O supervisor regional da Empaer em Poconé, Daniel Dalri, comenta que a Empaer auxiliou os produtores rurais na implantação, aquisição de equipamentos, elaboração de projetos de créditos, formação das lavouras sem aplicação de agrotóxicos e na conclusão da obra. Conforme Daniel, a intenção dos produtores é trabalhar no período da safra, que vai até novembro/dezembro, com três turnos, utilizando a capacidade total da empresa. O produtor rural, Manoel Gonçalves de Souza, 78 anos, considerado líder dos agricultores e grande incentivador para implantação da agroindústria fala que o esforço, trabalho e a união dos produtores pretendem mudar a vida das suas famílias e da região. “Nossa comunidade cresceu e está crescendo, temos que trabalhar unidos, pois só assim poderemos suprir nossas necessidades. Ninguém chega só a lugar algum, nossos filhos, netos e bisnetos precisam ter trabalho para permanecerem em nossa comunidade e gerar renda. Em conjunto buscamos uma saída com um trabalho que vai beneficiar a todos e agradeço aos que nos ajudaram nessa nova empreitada”, esclarece Manoel. Os produtores esperam comercializar o açúcar mascavo e melado na Grande Cuiabá, por um preço de R$ 2,50 o quilo; a rapadura será vendida para merenda escolar em barras de 0,250 gramas por R$ 0,75; já as barras de um quilo vão custar até R$ 2,00 a unidade. Segundo Daniel, os produtores estão recebendo treinamento para manusear os equipamentos, administrar a agroindústria e comercializar os produtos. Participaram da solenidade de inauguração representantes da Superintendência do Banco do Brasil, coordenador regional da Empaer em Cuiabá, Vico Capistrano, Técnico da Empaer em Poconé, Etevaldo Martiminiano da Cunha, representante da Secretaria de Turismo do Estado de Mato Grosso (Sedtur), Geralgo Donizeti Lúcio,autoridades e 65 agricultores da região. O evento aconteceu no dia 8 de abril.