Pular para o conteúdo
Voltar

Análise sensorial do abacaxi Imperial e Vitória agrada provadores de Mato Grosso

Análise sensorial do abacaxi Imperial e Vitória agrada provadores de Mato Grosso
Cristiane Celina (Assessoria)

A | A
Degustação - Análise Sensorial - do abacaxi Cv. Imperial e Cv. Vitória in natura O abacaxi é considerado um dos frutos tropicais mais importantes e sua comercialização vem se expandindo no mercado mundial, principalmente por suas características de sabor, aroma e cor. Resultado do projeto de pesquisa que analisa o comportamento de cultivares de abacaxizeiro no Estado, o experimento implantado no Campo Experimental da Empaer de Tangará da Serra em janeiro de 2009, está sendo coordenado pela pesquisadora da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) - que é a instituição executora, neste caso – Maria José Mota Ramos, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), que é a instituição financiadora do projeto. O teste de análise sensorial foi baseado no método Escala Hedônica de nove pontos, que no caso, é o melhor método para avaliar a aceitação do produto, visto que as cultivares Cv Imperial e Cv Vitória foram introduzidas no Estado por esse trabalho da pesquisadora da Empaer Maria José . “Esse teste foi realizado porque, quando se estuda o comportamento de cultivares, avalia-se a produção e a qualidade do produto. Mas, para que a tecnologia seja adotada, ou seja, para que o produtor utilize essa cultivar em sua propriedade, é preciso que o consumidor aceite o produto”, ressalta a pesquisadora Maria José. As amostras foram compostas de pedaços da polpa do fruto de aproximadamente 1,0 cm de espessura e colocadas em uma bandeja. Cada amostra foi acompanhada de uma ficha de avaliação, nessa ficha constava o item comentários, onde foram colocadas impressões sobre os aspectos visuais e organolépticos das amostras. Os pedaços de abacaxi foram degustados por 30 provadores. Os frutos utilizados na amostra foram colhidos com aproximadamente, 75% da casca amarela. Os frutos da cultivar Imperial tiveram 86,66% de aceitação entre os provadores que gostaram extremamente (33,33%) e muito (53,33%) e a Cv. Vitória 89,99%, sendo gostaram extremamente: 33,33% e muito: 56,66%. As cultivares são resistentes à Fusariose (doença mais devastadora do abacaxizeiro no Brasil, causando podridão dos tecidos afetados), disponibilizando um fruto mais saudável e um sistema de produção mais econômico e com menor poluição ambiental no estado de Mato Grosso. [b]Comentários dos provadores[/b] Segundo comentários dos provadores, a fruta da Imperial é extremamente saborosa, muito doce, tem textura firme, aromática, muito bonita e possui coloração atraente (amarelo ouro). Com relação à Cv. Vitória os provadores relataram que os frutos dessa cultivar são doces, saborosos, possuem aroma suave e textura moderadamente macia. Pelos comentários gerais conclui-se que o que mais agradou ao paladar dos provadores foi a doçura das frutas provenientes das plantas das Cvs “Imperial e “Vitória” como um ponto forte e extremamente importante para a aceitação do abacaxi. Foto: João Melo