Pular para o conteúdo
Voltar

Analistas do PAC-Embrapa visitam as unidades de pesquisa da Empaer

Analistas do PAC-Embrapa visitam as unidades de pesquisa da Empaer
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
As analistas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Célia Miyajima e Luzia Oliveira estão em Mato Grosso para fiscalizar a aplicação dos recursos na ordem de R$ 4,3 milhões, na Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). O montante é referente ao convênio de 2006 a 2009, que foi aplicado na compra de veículos, equipamentos para os laboratórios, reforma de Centros de Pesquisa e Campo Experimentais. A analista Célia comenta que vão visitar as unidades da Empaer nos municípios de Várzea Grande, Tangará da Serra, Cáceres e Acorizal. O trabalho é orientar na utilização do recurso conforme a legislação vigente, verificar toda a documentação e checar a aplicação correta. As analistas começaram a vistoria na segunda-feira (23.09) e encerram as atividades na sexta-feira (27.09). “Caso esteja tudo adequado fica mais fácil a aquisição de novos recursos”, destaca Miyajima. A diretora de pesquisa da Empaer, Eliane Forte Daltro, fala que foi elaborado um novo modelo de gestão de pesquisa oferecido à agricultura familiar com a participação das 17 Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária (OEPAs). Em 2009, a Empaer recebeu recursos na ordem de R$ 950 mil, para compra de 19 veículos e aproximadamente 35 computadores. Em 2010, foi liberada uma parcela de R$ 3,4 milhões, para investimento, construção de laboratórios de sementes, fruticultura, floricultura, aquisição de máquinas, equipamentos e a melhoria das condições de trabalho dos 29 pesquisadores da empresa, distribuídos pelo estado de Mato Grosso. Com o objetivo de gerar conhecimento e tecnologia para o desenvolvimento sustentável do meio rural, priorizando a agricultura familiar, a diretora destaca que a empresa com recursos do PAC-Embrapa adquiriu também um moderno aparelho de absorção atômica, que faz a análise do solo, tecido foliar, rações, água e permite a leitura de macro/micronutrientes, metais pesados para determinar a contaminação do solo, rios, meio ambiente e outros. “Esse equipamento ampliou o atendimento aos produtores rurais, fornecendo resultados com precisão”, destaca Eliane Daltro. O recurso do PAC foi utilizado na adequação dos laboratórios, complementação de móveis, equipamentos de informática, ampliação da frota de veículos, máquinas agrícolas, implementos, recuperação dos centros de pesquisa, estação de piscicultura e campos experimentais. Segundo a diretora, o recurso foi aplicado para estruturar os laboratórios para atender a demanda dos produtores rurais.