Pular para o conteúdo
Voltar

Araçá-boi: Novidade para a agroindústria de Mato Grosso

Araçá-boi: Novidade para a agroindústria de Mato Grosso
Cristiane Celina (Assessoria)

A | A
Pouco conhecida em Mato Grosso, a fruta do Araçá-boi (Eugenia Stipitata Mc Vaugh) vem sendo pesquisada pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) em parceria com Duílio Mayolino Filho, administrador de empresas, especialista em agronegócio, apaixonado pelo trabalho com a terra e presidente da Associação Mato-grossense de Fruticultura, que disponibilizou para estudo em sua propriedade, na região da Ponte de Ferro, uma área onde cultiva cem pés de araçá-boi. As primeiras sementes do araçá-boi nessa propriedade foram trazidas pelo biólogo Nesvaldo Bento de Oliveira e têm hoje o acompanhamento da bióloga, Lozenil de Carvalho Frutuoso, ambos técnicos da Empaer. A fruta é originária da região Amazônica, da família das Myrtaceas, que é a mesma da goiaba e da jabuticaba. O arbusto medindo cerca de três metros de altura, tem fruto arredondado e quando maduro, tem a cor amarelada, é rico em vitamina A, B e C. Inteira parece uma goiaba, cortada ao meio lembra um maracujá e o toque aveludado é o mesmo do pêssego. O araçá-boi tem a casca muito fina e sua polpa é mole e suculenta, com aroma bastante acentuado. Seu sabor exótico e bastante ácido chama atenção pelo frescor e apresenta potencial para conquistar um lugar de destaque no mercado nacional e internacional, pois pode ser comercializada em forma de refresco natural, polpa congelada ou suco engarrafado. “Por sua elevada acidez a combinação com frutas de baixa acidez fica muito boa, como por exemplo, um suco misturando em partes iguais a acerola, o araçá-boi e algumas folhas de hortelã”, sugestiona o biólogo Nesvaldo Bento de Oliveira. Cresce bem em solos de baixa fertilidade e exige irrigação diária, mas não excessiva. A espécie, rústica, normalmente começa a frutificar após dois anos do plantio. Com a planta bem nutrida, adequado suprimento de água e controle de ventilação, pode florescer e frutificar durante o ano inteiro. A propagação do araçazeiro é feita principalmente por sementes, as quais são retiradas dos frutos, lavadas para eliminação da polpa e imediatamente colocadas para germinar. O araçá-boi não suporta um transporte à longa distância, pois quando maduros são muito delicados, amassando-se com facilidade, principalmente quando sobrepostos. Com relação às pragas, o maior problema é a mosca-das-frutas, as quais depositam os ovos nos frutos e ocorre o desenvolvimento de larvas, porém a presença das larvas não altera o sabor do fruto e estas podem ser retiradas manualmente da polpa. A casca, por se muito fina pode ser triturada junto com a polpa. Quando se dispõe de uma grande quantidade de frutos, recomenda-se que seja feito o beneficiamento da polpa perto da plantação e que seja comercializada congelada. O bom comportamento do araçazeiro e a qualidade de seus frutos credenciam essa frutífera com potencial para exploração econômica, portanto, uma alternativa para a agroindústria mato-grossense.