Pular para o conteúdo
Voltar

Atendimento 0800 da ouvidoria da Empaer já está funcionando

Atendimento 0800 da ouvidoria da Empaer já está funcionando
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Começou a funcionar nesta terça-feira (16.02), o serviço de atendimento ao cidadão pelo telefone 0800 647 1700, canal direto com a ouvidoria setorial da Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer). A ligação é gratuita e o objetivo do serviço é facilitar a comunicação entre o cidadão e a empresa. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h00 às 18h00. O Ouvidor Setorial da Empaer, Edson Antônio de Almeida, explica que o novo serviço vai facilitar, principalmente, para o usuário que não tem como pagar uma ligação. As chamadas recebidas serão aceitas apenas de telefones fixos. Almeida acredita que a partir de agora é esperado um número maior de atendimento diante da facilidade de acesso da população. De acordo com o ouvidor, toda solicitação e informação têm a garantia da discrição e caso solicitado é mantido no anonimato. Edson explica que as demandas de denúncias e solicitação de informações também são feitas de forma eletrônica pelo endereço: http://www.ouvidoria.mt.gov.br/falecidadao. O retorno do contato inicial é imediato, mas o tempo de resolução pode levar até cinco dias. Em 2015, o atendimento mais comum foi por informações sobre crédito rural, valores de hectares de terra em determinados municípios, informações sobre assistência técnica, extensão rural, pesquisa, conduta irregular de servidores e outros. O presidente da Empaer, Layr Mota Silva, esclarece que a população pode entrar em contato com a ouvidoria da empresa para registrar denúncias, reclamações, críticas, sugestões e elogios. A função da Ouvidoria é orientar e sanar respostas a todas as demandas da sociedade, auxiliar o cidadão na fiscalização da administração pública, como também orientar no atendimento e facilitar o acesso a todos os serviços da empresa. “O agricultor familiar pode ligar para o 0800 647 1700 e solicitar informações ou relatar suas queixas, para que possamos realizar as investigações necessárias, conforme a lei determina”, conclui Mota.