Pular para o conteúdo
Voltar

Capacitação debate locação de viveiros com software topográfico

Capacitação debate locação de viveiros com software topográfico
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Com tecnologia voltada para a consolidação da piscicultura no Estado de Mato Grosso, aconteceu o oitavo módulo da capacitação continuada com o tema, locação de viveiro com software topográfico. O evento é realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e parceiros públicos e privados para discutir a transferência de tecnologia e temas referentes à implantação da atividade. A capacitação aconteceu nos dias 24 e 25.09, no auditório do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em Várzea Grande, e contou com a participação de 70 pessoas, entre técnicos multiplicadores, consultores e interessados. O pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril e coordenador da capacitação, Daniel Ituassu, destaca que foram realizadas aulas teóricas e práticas com um sistema que vai agilizar o processo para instalação de tanques. Conforme Daniel, já foi discutido nos módulos anteriores o nivelamento e conhecimento dos participantes, fontes de água e perfil de solos, nutrição de peixes, tecnologia do processamento, abatedouros de pescados, reprodução de peixes, projetos de créditos para financiamento da atividade e outros. O zootecnista e mestrando em piscicultura pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Gilcler de Souza, proferiu palestra sobre locação de viveiros para piscicultura com teorias sobre declividade do terreno com utilização de softwares, corte e aterro a serem realizados conforme as projeções dos modelos digitais, levantamento hídrico e topográfico essencial para calcular a movimentação de terra do projeto, tamanho, formato e economia na construção. “Essa é mais uma ferramenta para auxiliar na construção de viveiros de peixes”, ressalta Souza. O técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), do município de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), Benjamim Silveira, fala que na região possui 120 hectares de lâmina d’água e uma produtividade de 10 toneladas de peixes por hectare. Participa desde o primeiro módulo e tem levado informações e tecnologia para os 80 piscicultores. “Nosso município tem o maior número de piscicultores, as menores áreas e boa produtividade”, enfatiza Benjamim. É proposta da diretoria da Empaer que os técnicos saibam como trabalhar e fomentar a atividade em seus municípios visando uma nova alternativa de renda para as famílias rurais. O técnico agropecuário e biólogo da Empaer, Esmeraldo de Almeida, do município de Lucas do Rio Verde (354 km ao Norte de Cuiabá), comenta que para a agricultura familiar a piscicultura é uma atividade rentável que pode gerar 50% de lucro para o produtor em apenas um hectare de lâmina d’água. “A procura por informações é grande e estamos auxiliando com as linhas de crédito existenentes, regularização ambiental e projetos”, salienta Esmeraldo.