Pular para o conteúdo
Voltar

Credito rural de R$ 662 mil é liberado para agricultores de Matupá

Credito rural de R$ 662 mil é liberado para agricultores de Matupá
Rosana Persona (Empaer-MT)

A | A
Agricultores familiares dos assentamentos rurais São José União e Padovani, localizados no município de Matupá (695 km ao Norte de Cuiabá), financiaram recursos na ordem de R$ 662,5 mil do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf A) para investimentos. O crédito rural será destinado para aquisição de 166 matrizes e reprodutores bovinos de corte, 45 bovinos leiteiros, recuperação de 42 hectares de pastagens, construção de 18 quilômetros de cerca, perfuração de três poços semi-artesianos e outros. O engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Marcos da Rocha, fala que o crédito começou a ser liberado no mês de abril e já foi entregue a nove produtores no valor de R$ 26,5 mil. O financiamento tem prazo de dez anos para pagamento, com até três anos de carência e juros de 0,5% ao ano. O projeto para aquisição dos recursos foi elaborado pelos técnicos da Empaer. Rocha esclarece que 20 produtores rurais já solicitaram recursos do Pronaf Mais Alimentos no valor de R$ 1,5 milhão para compra de bovinos, reforma de pastagem, compra de equipamentos e outros. Ele explica que são financiados projetos individuais de até R$ 150 mil para investimento e até R$ 30 mil para custeio, com juros de 2,5% a 5,5% ao ano. O financiamento tem até três anos de carência e dez anos para pagar. Com uma produção de 15 mil litros de leite por dia, o município possui um plantel de 187 mil bovinos, sendo 15 mil de gado leiteiro e 172 mil de corte. Toda produção de leite é comercializada no laticínio de Guarantã do Norte. Em torno de 800 bovinos de corte são abatidos por dia no frigorífico de Matupá. A área plantada está estimada em 40 mil hectares com cultivo de soja, milho. Possui 1.200 famílias assentadas em três assentamentos rurais. “É importante salientar que a Empaer foi à grande responsável pela implementação da bacia leiteira na região dos assentamentos, que fica a uma distância de 80 km a 130 km da sede do município. A bovinocultura do leite concentra-se mais entre os pequenos produtores do município e promove lucro e renda para as famílias”, destaca Rocha.