Pular para o conteúdo
Voltar

Criação da Agência Nacional é debatida durante Congresso de Agronomia

Criação da Agência Nacional é debatida durante Congresso de Agronomia
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Na última terça-feira (19), o Senado aprovou o projeto de Lei 5.740, que cria a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) e seguiu para sanção presidencial. Durante o XXVIII Congresso Brasileiro de Agronomia, que acontece em Cuiabá (19 a 22.11), foi realizado o Fórum em defesa da agência. No debate o representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Valter Bianchini, ressaltou que a Anater terá atuação com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e pela primeira vez haverá integração entre pesquisa e assistência técnica, por meio do atendimento aos ministérios da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Desenvolvimento Agrário. Segundo Bianchini, com um orçamento de R$ 1,3 bilhão, a agência começa a operar em janeiro de 2014. Com objetivo de aumentar a produtividade e a renda dos pequenos e médios produtores rurais, a nova agência tem como finalidade permitir que eles tenham acesso à assistência técnica e extensão rural em todas as etapas da atividade, por meio de parcerias com as empresas públicas e escritórios privados que prestam serviços de assistência técnica no campo. Em atuação conjunta com a Embrapa, a Anater vai respeitar as características regionais e terá como ação prioritária na assistência à cadeia produtiva do leite em microrregiões, aos agricultores do semiárido nordestino, ao desenvolvimento do Programa Agricultura de Baixo Carbono, Agroecologia e Produção Orgânica (ABC), e no acesso a tecnologias avançadas, como agricultura de precisão e automação e cultivo protegido. Além de transferir tecnologia e inovações, a agência poderá credenciar atividades públicas e privadas, qualificar profissionais, contratar e disponibilizar serviços, monitorar e avaliar resultados quanto à qualidade dos serviços prestados. O diretor da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Almir de Souza Ferro, destaca que a criação da Anater é uma reivindicação das 27 entidades de assistência técnica e extensão rural do país. Ele recorda que desde a extinção da Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Embrater) no governo Collor em 1990, a extensão rural ficou abandonada e sucateada. “Essa proposta vem sendo debatida há mais de dois anos, e nos permite refletir de forma otimista a sua criação com estreita parceria com os governos estaduais. Muita coisa será feita em beneficio do homem do campo e da sociedade”, ressalta Ferro. O presidente do Sinterp, Gilmar Bruneto, parabeniza a iniciativa com a criação da agência e deposita os créditos nos extensionistas rurais que continuaram lutando para manter os serviços de assistência técnica e extensão rural. O engenheiro agrônomo do Estado da Bahia e Membro Titular do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf), Jonas Dantas, fala que a criação da agência é uma conquista que vai permitir a reestruturação das empresas e gestão focada nos serviços de Ater. Sustentável Paralelamente ao Congresso acontece a Feira Sustentável e a Empaer, em parceria com os produtores rurais, expõe os produtos da agricultura familiar tais como produção de Frutas, Legumes e Verduras (FLV) do Vale do Rio Cuiabá, Flores tropicais, projeto pioneiro que estuda a viabilidade produtiva das plantas destinadas para arranjos florais e paisagismo, implantação da apicultura com exposição de caixa de abelhas Europa e como produzir mel, artesanato de Santo Antônio de Leverger, esculturas do artista, Jânio Borges, e outros.