Pular para o conteúdo
Voltar

Curso de piscicultura para produtores e técnicos em Livramento

Curso de piscicultura para produtores e técnicos em Livramento
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Aconteceu na quarta-feira (11.06), na Estação de Piscicultura da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km de distância ao Sul de Cuiabá), um curso sobre noções básicas de piscicultura para produtores rurais e técnicos agrícolas. O engenheiro de pesca da Empaer, Enock Alves dos Santos foi o palestrante e abordou a seleção da área para implantação dos tanques, escavação de viveiros, estocagem de peixe, engorda, abate, resfriamento e comercialização. O curso contou com a participação de 20 pessoas. Conforme Enock, o objetivo do curso é auxiliar no cultivo e na produção de peixe para garantir a rentabilidade ao produtor. Ele explica que vários fatores são importantes para o crescimento e sucesso da atividade, bem como: manejo, alimentação e nutrição de peixes, qualidade e oxigênio da água, temperatura, densidade por metro quadrado, controle no cultivo de alevinos e outros. “Nosso clima é muito bom para o cultivo de peixe e em menos de um ano está pronto para o abate, pesando até 2 quilos por exemplar”, enfatiza Santos. O curso foi dividido em duas etapas, no período da manhã, a parte teórica e a tarde a prática. Os produtores visitaram as instalações da Estação, percorrendo os tanques de matrizes de peixes. A presidente da Associação de Pequenos Produtores Rurais de Livramento, Sônia Beatriz Monteiro Maciel, fala que estão participando produtores da chamada pública das comunidades de Capão Bonito, Cedral de Cima, Capão Redondo, Mata Cavalo e outros. O produtor rural, Urbano Paes de Arruda, possui uma área de 11 hectares, na comunidade Capão Redondo e está testando em uma represa a criação de peixes. A intenção é aprender sobre recria e engorda em cativeiro e depois ampliar com a construção de mais uma represa. O produtor Gonçalo Guimarães, proprietário do sítio São Benedito, possui dois tanques para criação em cativeiro e comercializa alevinos de tambacu por um preço de R$ 5,00 o quilo. O presidente da Associação da Comunidade Negra Rurais do Quilombo Mata Cavalo de Cima, Manoel Domingos Lúcio, comenta que é piscicultor mas, é necessário saber lidar com os alevinos para investir na atividade que pode ser lucrativa. O produtor, Erineo de Arruda Gomes, possui um tanque com 1 mil alevinos de tambatinga e espera que a atividade venha complementar a renda da família. “Estamos buscando orientações para produzir da forma correta e lucrativa”, destaca Erineo.