Pular para o conteúdo
Voltar

Dia de campo apresenta tecnologia para cultivo da mandioca em Cláudia

Dia de campo apresenta tecnologia para cultivo da mandioca em Cláudia
Rosana Persona (jornalista da Empaer)

A | A
Mais de 80 pessoas, entre produtores rurais, técnicos agropecuários, estudantes e pesquisadores, participaram do 2º Dia de Campo do Projeto Raízes e de visitação à Unidade de Referência Tecnológica (URT) de mandioca, que apresentou resultados de 18 variedades para consumo in natura e industrialização. O evento foi realizado na Associação dos Produtores do Assentamento Zumbi dos Palmares, no município de Cláudia (620 km ao Norte de Cuiabá). O Dia de Campo foi dividido em duas etapas, no período da manhã, com palestras, e a tarde, com visitação à URT na propriedade do produtor rural Nilson Bispo. A extensionista da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Lindelzi Costa Lima, abordou o uso da mandioca e boas práticas de fabricação. Já os pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Silvio Túlio Spera e Suzinei Silva Oliveira, esclareceram sobre o manejo do solo, adubação verde da mandioca, variedades e tratos culturais. O engenheiro agrônomo da Empaer, Rogério Leschewitz, falou que o evento teve o objetivo de apresentar resultados de pesquisas e tecnologias voltadas para o agricultor familiar. Segundo ele, foi implantada uma URT pela Embrapa, em parceria com a Empaer, no Sítio dos Ipês, numa área de um hectare. Foram plantadas 18 variedades de mandioca de mesa e indústria. As variedades cultivadas foram disponibilizadas pelo produtor e parceiros do Projeto Raízes com a finalidade de comparar as cultivares, demonstração de técnicas e manejo da cultura. De acordo com Rogério, o resultado da Unidade de Referência Tecnológica tem a finalidade de incentivar as melhorias das técnicas de produção, como manejo correto do solo, correção da acidez do solo, adubação da cultura, seleção das manivas, plantio e ervas daninhas, tratos culturais de manutenção, colheita e apresentação dos resultados obtidos para os produtores do município e região. “A mandioca é considerada a segunda cultura mais importante da cadeia produtiva no estado, ficando atrás apenas da pecuária de leite”, enfatizou. Os participantes visitaram a URT e também participaram da oficina de industrialização da cultura da mandioca, que foi ministrada pela extensionista Lindelzi Lima. Ela demonstrou na prática a fabricação de farinha temperada, suco, mandioca chips, e outros. “A mandioca tem 100% de aproveitamento e o cultivo gera emprego e renda com o processo de produção, industrialização e comercialização”. O produtor Nilson possui uma propriedade de 42 hectares, localizada no assentamento Zumbi dos Palmares, e cultiva 10 hectares de mandioca. Ele está na atividade há mais de seis anos e é a principal fonte de renda. Hoje, possui o plantio das variedades mandioca pão e rama branca, as duas são utilizadas para mesa. Na propriedade é realizada a venda de produtos in natura e descascados embalados em sacos plásticos. O evento foi realizado no dia 07 de julho, pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico, Embrapa, Empaer, entre outros parceiros.