Pular para o conteúdo
Voltar

Dia de Campo incentiva produção de mudas de café em Nova Bandeirantes

Dia de Campo incentiva produção de mudas de café em Nova Bandeirantes
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Mais de 50 cafeicultores do município de Nova Bandeirantes (1.026 km ao Norte de Cuiabá) participaram do Dia de Campo sobre Produção de Mudas, Podas de Café e do lançamento oficial do Programa Municipal de Retomada da Cadeia Produtiva da Cafeicultura. Os agricultores visitaram o jardim clonal da Secretaria Municipal de Agricultura que possui oito clones de café Robusta (Coffea canephora). A aula prática foi realizada no Sítio Campina da lagoa, na propriedade do cafeicultor Frederico Godoy. O cultivo do café é considerado a segunda economia do município com uma área de 1.200 hectares e produtividade média de 11 sacas por/hectare. São mais de 180 agricultores que cultivam o grão. O engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Thiago Tombini, ministrou palestra e mostrou na prática novas técnicas, produção de mudas clonais, podas e cuidados com a planta. Ele destaca que o café é um dos poucos produtos agrícolas que o agricultor tem a certeza de vender por um preço melhor, se for de boa qualidade. “O preço que se alcança na venda de um café de qualidade inferior é sempre bem menor que o preço de um café de boa qualidade. Por isso, compensa o esforço para conseguir um produto melhor, os cuidados são irrisórios em relação ao preço que você consegue ao comercializar um café de qualidade superior”, enfatiza Tombini. De acordo com o engenheiro da Empaer, o sucesso da lavoura cafeeira depende, entre outros fatores, da boa qualidade das mudas, que devem ser adquiridas em viveiros idôneos e certificados. Outra alternativa que pode ser realizada nas pequenas propriedades é a produção de mudas pelo próprio cafeicultor e também a instalação de viveiros comunitários, onde pequenos agricultores se unem para produção de mudas em mutirão. O município de Nova Bandeirantes faz parte da “Rota do Café”, com alta produção de grãos e potencial de crescimento da atividade. O Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf) tem a intenção de implantar em Mato Grosso a produção de café clonal, uma técnica desenvolvida pela Embrapa de Rondônia. A técnica consiste na reprodução da planta de café conservando todas as suas características produtivas, como resistência ou tolerância ao ataque de pragas e doenças, o que facilita a formação de lavouras homogêneas de alta produtividade. O produtor Frederico Godoy, proprietário de uma área de mais de 50 hectares, iniciou o cultivo do café no final dos anos 70. E desde então, possui o cultivo de 6 mil pés de café das variedades Conilon e Robusta. No ano 2000, plantou 700 pés de café clonado trazido do Estado de Rondônia. A colheita já começou (abril a junho) e o produtor espera colher em torno de 7 mil quilos de café e ter um lucro de R$ 35 mil com a venda do produto. Segundo Godoy, o Dia de Campo foi importante para aprender novas técnicas e principalmente incentivar o retorno do cultivo. Ele mencionou que o engenheiro Thiago tem contribuído para o fortalecimento e aprendizado na condução da lavoura do café. “O técnico da Empaer é o “cara do momento”, está incentivando e mostrando as técnicas e clones para cultivo. Nunca tivemos um curso e foi surpreendente a participação de 50 produtores”, declara Frederico. A prefeita Solange Souza Kreidloro lembrou que Nova Bandeirantes já foi considerada a capital estadual do café e esse é o primeiro passo para a retomada da produção. “Estamos no caminho certo, pode até demorar um pouco para produzirmos, mas tenho a certeza que com novas técnicas seremos mais fortes do que antes”, conclui.