Pular para o conteúdo
Voltar

Embrapa e Empaer pesquisam sete novas cultivares de feijoeiro para MT

Embrapa e Empaer pesquisam sete novas cultivares de feijoeiro para MT
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) realizaram durante o ano de 2009, pesquisa para avaliação de genótipos de feijoeiro comum para o Estado de Mato Grosso, conduzidos no sistema irrigado e de sequeiro. Os resultados já começam a aparecer e está em processo de aprovação e inclusão sete novas cultivares de feijoeiro, que podem fazer parte da lista de recomendação para o sistema de plantio pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, comenta que as pesquisas foram desenvolvidas nos municípios de Tangará da Serra, Primavera do Leste e Campo Novo do Parecis no sistema de plantio irrigado. E plantio de sequeiro foi realizado em Sinop, Cáceres, Tangará da Serra e Apiacás. “Os experimentos foram realizados em diferentes ambientes do Estado, sujeito às mais variadas condições edafoclimáticas durante o desenvolvimento do feijoeiro, o que resultou em maiores ou menores produtividades de feijão”, explica Martins. As cultivares que estão na lista para aprovação são: BRS Estilo e BRS 9435 Cometa do grupo comercial de feijão carioca; BRS Campeiro, BRS Grafite, BRS 7762 Supremo e BRS Esplendor do grupo de feijão preto e BRS Radiante do grupo manteigão rajado. Conforme o pesquisador, na semeadura levou-se em consideração a boa fertilidade do solo em sistema de plantio convencional ou direto, disponibilidade de água, tanto das chuvas, no sistema sequeiro, como da irrigação no sistema de plantio irrigado. Neste ano, a pesquisa também implantou dez unidades demonstrativas para os agricultores familiares nos municípios de Apiacás, Paranaita, Colider, Nova Mutum, Rosário Oeste, Barão de Melgaço, Juína, Aripuanã e Colniza, com o objetivo de aumentar a produção de feijão para o subsistência e a venda do excedente. Os pesquisadores Valter e José Geraldo Di Stefano, da Embrapa Arroz e Feijão juntamente com produtores avaliaram as épocas de semeadura, visando melhor aproveitamento do regime pluviométrico da região e épocas menos sujeitas às condições favoráveis às doenças, principalmente a mela. Na primeira avaliação das cultivares demonstradas e apropriadas ao pequeno produtor, a cultivar Jalo precoce apresentou um ciclo vegetativo próximo de 70 dias, sendo considerado um feijão de recomposição rápida. Os materiais genéticos BRS Requinte, BRS Estilo e a linhagem VC3 apresentam escurecimento tardio, podendo ser armazenado por mais tempo e os que apresentaram maiores teores de ferro e zinco foram a BRS Agreste, BRS Radiante e BRS Pontal. “Esses genótipos, desde que aprovados pelos pequenos produtores poderão ser produzidos subsidiando boa parte da subsistência da família do produtor e também atendendo o mercado local e a merenda escolar”, esclarece Martins. As unidades demonstrativas serviram também para disponibilizar sementes de feijão para a agricultura familiar por meio dos escritórios locais da Empaer em Mato Grosso.