Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer atualiza manual técnico para adequação de estradas rurais

Empaer atualiza manual técnico para adequação de estradas rurais
Rosana Persona (Empaer-MT)

A | A
Com o objetivo de orientar a revitalização das estradas rurais e facilitar o escoamento da produção agrícola, o técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Ilton Batista Camilo, está reeditando o manual técnico "Recomendações para Adequação de Estradas Rurais", lançado em 2007. Ele alerta que estradas mal construídas e mal conservadas podem provocar graves erosões nas lavouras, pastagens e ao meio ambiente. Desde 2005, a Empaer tem trabalhado na adequação das estradas nos municípios de Alto Taquari, Pedra Preta e Campos de Julio, e recentemente também em Lambari D’Oeste e Quatro Marcos, que fazem parte do Consórcio Nascentes do Pantanal. Além das readequações, o técnico Ilton tem proferido palestras nos cursos de adequação de rodovias rurais para técnicos e operadores de máquinas pesadas (retroescavadeira, motoniveladora e etc.). Com linguagem simples e objetiva, a publicação auxilia no projeto técnico de adequação de estradas, integração das estradas rurais com áreas agrícolas, levantamento do trecho a ser ajustado, elaboração do projeto, dimensão das principais obras, correção do leito, construção de lombadas, construção de caixas de retenção, terraços de escoamento, bueiro, drenos e outros. Estradas de difícil acesso elevam o custo do transporte, diminuem a qualidade dos produtos e causam excessiva demora para percorrer pequenas distâncias. “O trabalho de adequação preserva as nascentes dos rios e as matas ciliares”, ressalta o técnico. A finalidade também é garantir o tráfego normal de veículos e o escoamento da produção agrícola durante o ano todo, além de preservar os rios, reduzir acidentes e os recursos para a manutenção das estradas rurais. Segundo Ilton Camilo, a construção de estradas deve respeitar os contornos das bacias hidrográficas, construção de pequenas bacias para captar água das chuvas e evitar que a água das chuvas corra com velocidade no leito das estradas. Ele explica que os atoleiros ocorrem pela falta de boa compactação do solo no leito da estrada e deficiência do escoamento das enxurradas. Uma estrada adequada tem que prever um bom sistema de drenagem da água da chuva. E ainda fala sobre a importância de construir uma estrada nesses moldes, pois gera economia para os cofres dos municípios. "Com o uso dessas técnicas, não será preciso gastar com a manutenção das estradas por vários anos". Todas estas informações estão contidas no manual que estará à disposição no site www.empaer.mt.gov.br no mês de julho.