Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer ministra palestras sobre cadeia produtiva do leite em Araputanga

Empaer ministra palestras sobre cadeia produtiva do leite em Araputanga
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Mais de 60 produtores rurais do município de Araputanga (345 km a Oeste de Cuiabá) participam do ciclo de palestras da Chamada Pública da Cadeia Produtiva do Leite, projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) são responsáveis pelo atendimento e assistência técnica para 12 comunidades rurais cadastradas. A médica veterinária da Empaer, Laura Peixoto de Arruda, explica que estão atendendo produtores da Chamada Pública há 18 meses, com objetivo de aumentar a produtividade e qualidade do leite nas pequenas propriedades rurais. Laura destaca que o projeto atende em torno de 700 famílias, nas regiões de Cáceres e Rondonópolis. “Nosso trabalho além de técnico é auxiliar na parte econômica, social e ambiental de cada propriedade assistida”, enfatiza. Na comunidade Botas foi realizada a palestra sobre a importância da nutrição para a reprodução bovina. Na sede da empresa, o médico veterinário da Empaer, Irezê Moraes Ferreira e coordenador regional da Chamada pública do Leite falou sobre alternativas de suplementação alimentar para o período da seca. O pecuarista Eleomar Paulino de Deus, proprietário de uma área de 62 hectares, localizada na Comunidade Botas, possui um plantel de 115 cabeças de bovino leiteiro e uma produção diária de 200 litros de leite. Toda produção é vendida para o laticínio do município. Ele participou da palestra e acrescenta que as informações repassadas são aplicadas para o manejo dos bovinos. O produtor rural Geraldo Moreira Campos possui 50 cabeças de gado leiteiro e uma produção de 150 litros de leite por dia. Ele comenta que o preço do leite está em torno de R$ 0,73 o litro, e a previsão é chegar até R$ 1,00 o litro/ leite. “É importante participar das palestras da Empaer para tirar dúvidas e aplicar técnicas na produção de leite nas propriedades. Hoje o preço do leite depende da qualidade, quanto melhor o leite, maior será o preço de venda para o produtor”, esclarece. O atendimento as famílias vai até o final de 2017, com orientações sobre pastagens, manejo sanitário, qualidade do leite, manejo reprodutivo e outros. As comunidades que participam do projeto são Farinópolis, Santa Terezinha, Córrego das Pitas, Cachoeirinha, Córrego do Meio, Raizama, Botas, Monterlândia, São José, Boa Vista, Taquaral e Córrego Rico.