Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer propõe criação de apiários para treinar agricultores familiares

Empaer propõe criação de apiários para treinar agricultores familiares
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Com objetivo de atender a cadeia produtiva da apicultura na agricultura familiar, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) está propondo a criação de apiários-escolas nas Estações e Campos Experimentais da empresa. Considerada uma atividade rentável, o apiário-escola pretende treinar produtores e apresentar inovações tecnológicas, bem como materiais resistentes, adaptados, organização da cadeia produtiva e outros. O biólogo da Empaer, João Bosco Pereira, fala que o treinamento é fundamental para conhecer o manejo ideal para criação, que requer pouco esforço. Ele explica que uma colmeia produz em média 30 quilos de mel por ano. Na região do pantanal a produção duplica, ou seja, atinge 60 quilos de mel/ano. Ele calcula que uma produção de 50 quilos/ano/ por colmeia pode dar um rendimento de R$ 3mil reais. No mercado o mel é vendido a R$ 20 o quilo. Para ter uma boa produtividade é importante manter o apiário com abelhas rainhas jovens com idade máxima de dois anos, já que elas vivem até cinco anos. Um bom pasto apícola produz em média três mil ovos por dia, uma população de 80 mil abelhas operárias por colmeia. Segundo o biólogo, a atividade é bem simples e o apicultor vai dispor de apenas nove horas de trabalho por colmeia/ano, com três caixas, apenas 27 horas. No apiário-escola os produtores rurais serão qualificados e treinados na atividade apícola com orientações teóricas e práticas sobre a criação de abelhas africanizadas– Apis mellifera. E inovações serão mostradas, entre elas instalação de colmeias nos galhos das árvores, suspensas a uma altura de dois metros do chão, pendurados por arames. Essa maneira evita a ação de predadores como formigas, cupins, tamanduás e maiores problemas no período das chuvas. “Esse tipo de criação já é realizado no pantanal”, destacou Pereira. Consideradas as principais polinizadoras do meio ambiente e agrícola, as abelhas são responsáveis pela produção de mel, pólen, própolis e geleia real, produtos naturais saudáveis utilizados para várias finalidades e também como fonte de renda familiar, quando produzidos dentro das normas técnicas corretas. O apiário-escola pretende incentivar a atividade e aumentar a produção de mel no Estado. “A abelha é o animal que mais mata, para evitar maiores problemas é necessário orientações e informações sobre o manejo”, admitiu. Os apiários-escolas serão implantados nos Campos Experimentais dos municípios de Nossa Senhora do Livramento, Rosário Oeste, Juína, Tangará da Serra, Acorizal, São José dos Quatro Marcos e nas Estações de Pesquisa e Fomento de Cáceres e Sinop. O projeto pretende começar a instalação no campo de Acorizal.