Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer realiza desova e reprodução do tambacu e tambatinga

Empaer realiza desova e reprodução do tambacu e tambatinga
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Na segunda-feira (24.11), na Estação de Piscicultura da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), localizada no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao Sul de Cuiabá), começa o trabalho de desova dos peixes e reprodução do tambacu (cruzamento do tambaqui com pacu), e tambatinga (cruzamento do tambaqui com a pirapitinga). O objetivo é produzir 900 mil alevinos para recria e engorda em cativeiro. O chefe da Estação, Antônio Claudino da Silva Filho, fala que em menos de 45 dias, após a reprodução, pode ser retirados alevinos medindo de três a cinco centímetros, considerados prontos para comercialização. “Tudo vai depender das condições climáticas, temperatura entre 32 a 33 graus, pode favorecer na fase de maturação dos óvulos e ser realizada a desova. Pretendemos concluir a reprodução das espécies no final do mês de dezembro”, esclarece. Nesse período, as matrizes estão aptas para reprodução produzindo alevinos para recria e engorda. As matrizes das espécies são novas, com apenas quatro anos de idade, consideradas produtivas e saudáveis para reprodução. A Estação tem capacidade para produzir 1 milhão de alevinos, possui 39 tanque de reprodução, sendo 12 de pesquisa e 27 para recria. Antônio lembra que foram comercializados no início deste ano, mais de 600 mil alevinos. Durante cinco meses, 330 produtores rurais da Baixada Cuiabana adquiram alevinos medindo de três a dez centímetros de comprimento. Os preços variam de acordo com tamanho, alevinos medindo de três a cinco centímetros foram comercializados a R$ 160,00, de cinco a oito R$ 220,00 e de oito a dez centímetros por R$ 260,00 o milheiro.