Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer reúne pesquisadores e técnicos para apresentar as cadeias produtivas de 2011

Empaer reúne pesquisadores e técnicos para apresentar as cadeias produtivas de 2011
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
A agricultura familiar no Estado de Mato Grosso é representada por 140 mil produtores, sendo 90 mil de áreas de assentamento e 50 mil agricultores tradicionais. Ao todo são 718 Projetos de Assentamentos e a maioria dos produtores vem de uma atividade que não é agrícola e exige um assessoramento técnico contínuo. Para planejar as ações deste ano, a diretoria da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), reuniu-se nesta segunda-feira (17.01) com os pesquisadores e técnicos agropecuários para definir as principais cadeias produtivas a serem assistidas. A reunião foi realizada no Centro Regional de Pesquisa e Transferência de Tecnologia, em Várzea Grande. Conforme levantamento dos técnicos da Empaer, existem 1.228 comunidades tradicionais, 418 assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), 124 do Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat) e 176 assentamentos do Crédito Fundiário. Para organizar e planejar as ações, o presidente da Empaer, Enock Alves dos Santos, ressalta que foram escolhidas vinte áreas temáticas que serão monitoradas pela empresa. As principais cadeias produtivas apresentadas – Pecuária de leite, fruticultura, olericultura, mandioca, piscicultura, seringueira, apicultura, suinocultura avicultura, pupunha, agroecologia, crédito fundiário e outras. Enock esclarece que devido à demanda de trabalho é necessário a realização de concurso público. “Com o quadro técnico existente vamos definir a atuação da empresa com um trabalho voltado para a assistência técnica, extensão rural, pesquisa e validação de tecnologia para o nosso cliente, o produtor rural”, declara Santos. O diretor técnico da Empaer, Almir de Souza Ferro, fala que no ano de 2010 a empresa atendeu 35,5 mil produtores rurais. Ele abordou sobre os convênios realizados com o Incra – Ates no valor de R$ 11 milhões, Ministério do Desenvolvimento Agrário de R$ 8 milhões e do Programa de Aceleração do Crescimento, e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no valor de R$ 2,4 milhões, somente para 2011. “Essa reunião mostra o cenário atual e discute as perspectivas da Empaer para atender com eficiência e qualidade o produtor rural”, destaca Ferro. O diretor de pesquisa, Carlos Milhomem, enfatiza que é necessário criar grupos fortes em todas as áreas temáticas, responsabilizando os autores de cada área no atendimento aos agricultores familiares. Ele enfatiza o nivelamento com a Embrapa para atender a grande demanda do Estado. “Precisamos organizar a empresa com a participação efetiva dos técnicos e pesquisadores”, comenta Milhomem. Durante a reunião, Enock lembra aos servidores que a Empaer é o instrumento que o Governo dispõe para viabilizar e incentivar à agricultura familiar, priorizando o atendimento socioeconômico, o desenvolvimento, a produção de base familiar, assegurando os serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater). Os diretores pretendem ainda no mês de janeiro, reunir-se com os servidores do Escritório Central e Escritórios Regionais de Cuiabá, Cáceres, Rondonópolis, Barra do Garças, Alta Floresta, Juína, Barra do Bugres, São Félix do Araguaia e Sinop.