Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer se despede de Menores Aprendizes e aguarda nova turma

Empaer se despede de Menores Aprendizes e aguarda nova turma
Cristiane Celina (Assessoria/Empaer)

A | A
Profissionais da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) prepararam nesta terça-feira, 1º de outubro, a despedida dos menores aprendizes que trabalharam na empresa por dois anos, limite máximo permitido pela legislação. “Nosso intuito hoje é agradecer e desejar que estes jovens tenham sucesso. Esperamos ter contribuído com o aprendizado deles”, destaca a psicóloga da Empaer, Fátima Perfeito. Em nome da diretoria da Empresa, a doutora Eliane Maria Forte Daltro, diretora de Pesquisa, ressaltou a importância dos jovens aquirirem cedo a qualificação profissional. “Isto só poderá gerar bons frutos. Não foram só eles que aprenderam, nós também aprendemos muito com eles. Se preparar para a vida profissional requer muita dedicação e esperamos ter somado na vida destes jovens talentosos”. A menor aprendiz Hana Karolina Pires de Oliveira (17) elogia o programa. “O tempo que passei aqui foi muito importante. Aprendi a ser mais responsável, tanto que acabei de entrar para a faculdade. Vou sentir falta de trabalhar na Empaer”, confidenciou. Nas próximas semanas, uma nova turma irá integrar o quadro de menores aprendizes da Empresa, por mais dois anos. O Aprendiz Legal é um programa técnico-profissional criado pela Fundação Roberto Marinho, em parceria com a Petrobrás, em 2005. Regulamentado pela Lei da Aprendizagem e pelo Decreto nº 5.598/2005, legitima a intenção e os esforços para contribuir com a empregabilidade de jovens, especialmente os menos privilegiados. A lei e o decreto vigentes determinam que empresas de médio e grande porte contratem um número de 5% a 15% do seu quadro de funcionários, cujas funções demandem formação profissional. O jovem deve cursar a escola regular (ensino fundamental ou médio) e estar matriculado e frequentando instituição técnico-profissional conveniada com à empresa. O período do contrato pode ser de até 24 meses. O recolhimento da contribuição ao INSS é obrigatório, sendo o aprendiz segurado-empregado. Podem entrar no programa, jovens na faixa etária de 14 a 24 anos (incompletos). Uma vez por semana, eles têm um curso de capacitação no Centro Integrado Empresa-Escola (CIEE), onde aprendem como se comportar dentro da empresa e como lidar com situações-problemas, conforme explicou a psicóloga da Empaer Fátima Perfeito. “O CIEE contrata os menores, a Empaer repassa os valores ao CIEE, que faz a complementação da parte teórica, obrigatória no Programa Menores Aprendizes”. Aproximadamente 32 competências constituem o alvo do programa, entre elas trabalhar em equipe; respeito ao outro e pelas diferenças; correção e clareza da língua portuguesa e matemática; criar/ampliar análises; problematização; sistematizar e hierarquizar informações.