Pular para o conteúdo
Voltar

Empresários, produtores e pesquisadores debatem sobre a cultura do arroz de terras altas

Empresários, produtores e pesquisadores debatem sobre a cultura do arroz de terras altas
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Os gestores do projeto de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para a cadeia produtiva do arroz de terras altas, em Mato Grosso realizam uma reunião, nesta quinta-feira (29.07), para debaterem os principais problemas e apresentar os trabalhos que são executados. Participam da reunião, produtores de arroz, empresários da indústria, assistentes técnicos, representantes de instituições públicas e de organizações ligadas à produção do arroz. O evento será no auditório da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), das 9h às 12h. Com uma produção de 800 mil toneladas de arroz de terras altas por ano, o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Arroz e Feijão, Carlos Magri Ferreira, fala sobre o arroz de Mato Grosso: um exemplo de sustentabilidade; e a doutora em fertilidade do solo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Maria Luiza Perez Villar apresenta o projeto de desenvolvimento de tecnologia para a cadeia produtiva do arroz no Estado. As instituições envolvidas no desenvolvimento da cultura do arroz contam com os representantes do Sindicato das Indústrias Alimentação da Região Sul de Mato Grosso (Siar-Sul), Sebrae, Empaer e Embrapa apoiadas pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Mato Grosso(Fapemat). A doutora Maria Luiza comenta que a intenção é diminuir a ociosidade das instalações das indústrias arrozeiras, melhorar a qualidade dos grãos produzidos e a produtividade da cultura com menor custo de produção, tornando a rizicultura do Estado mais competitiva, por meio de aprimoramento dos sistemas de produção com uso de inovações e capacitação dos produtores. Segundo Villar, são sendo implantados experimentos para selecionar genótipos para a agricultura familiar nos municípios de Sinop, Paranatinga e Cáceres visando criar alternativas específicas para o pequeno produtor, com material genético resistente à praga, doença e baixa fertilidade do solo. Novos materiais estarão à disposição em 2011. Pesquisadores da Empaer já lançaram algumas variedades de arroz de terras altas que podem ser utilizadas, tais como: Primavera, Cambara, Sertaneja, Pepita e Monarca, que serão direcionadas para os produtores de arroz. O evento será na Fiemt – Avenida Historiador Rubens de Mendonça 4193, Bosque da Saúde, em Cuiabá.