Pular para o conteúdo
Voltar

Empresas comemoram 64 anos dos serviços da assistência técnica e extensão rural no Brasil

Empresas comemoram 64 anos dos serviços da assistência técnica e extensão rural no Brasil
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Mais de 19 mil extensionistas rurais, de 27 Estados, comemoram 64 anos do serviço Brasileiro de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), na quinta-feira (06.12). O Governo Federal estuda sobre a criação da entidade nacional de Ater, com a preocupação que ela atenda aos diferentes públicos do campo, tendo como prioridade os agricultores familiares. A futura instituição deverá coordenar a política e o sistema nacional de assistência, contratar serviços das entidades oficiais e complementares promovendo a aproximação entre a pesquisa e a extensão rural. Em Mato Grosso, o serviço de extensão rural foi constituído oficialmente no dia 15 de setembro de 1964, marco histórico para a agricultura e pecuária que oferece serviço público gratuito aos produtores rurais. A Associação de Crédito e Assistência Rural de Mato Grosso (Acarmat) executou os programas de assistência técnica e extensão rural até 1976, quando foi extinta, nascendo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Mato Grosso (Emater), empresa pública, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural e agricultura Familiar (Sedraf), que passou a ser a executora da Política de Assistência Técnica e Extensão Rural no Estado. Em 1992, foi instituída a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) em decorrência da fusão da Emater, da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Empa) e da Companhia de Desenvolvimento Agrícola (Codeagri) das quais é sucessora. O Serviço de ATER possui hoje uma abrangência de 95% do território brasileiro, com aproximadamente seis mil escritórios locais e possui, atualmente, cerca de 23.600 profissionais, sendo 19.200 extensionistas rurais, nos quadros funcionais das Instituições Estaduais. É patrocinado com recursos públicos oriundos dos Estados, dos municípios, do Governo Federal e de arrecadação própria e outras receitas. O diretor de Ater da Empaer, Almir de Souza Ferro, fala que a agricultura e pecuária são atividades relevantes, especialmente por constituírem a base da geração de emprego, renda e da movimentação da economia dos municípios. Conforme levantamento dos técnicos da empresa, o Estado possui mais de 188 mil agricultores, sendo 140 mil familiares e 48 mil de médio e grande agricultor. O estudo revela que 30% dos agricultores exercem a pecuária de leite como atividade econômica, seguindo para fruticultura, olericultura, mandioca, seringueira e outras. Segundo Almir, a Empaer disponibiliza os serviços de Ater, pesquisa e fomento aos agricultores familiares por meio de 135 escritórios locais, nove regionais, três centros de pesquisa, seis campos experimentais, quatro viveiros de produção e um núcleo de laboratórios. Toda essa estrutura conta com a força de trabalho de 527 funcionários.