Pular para o conteúdo
Voltar

Entidades públicas e privadas se unem em prol do desenvolvimento da Agricultura Familiar

Entidades públicas e privadas se unem em prol do desenvolvimento da Agricultura Familiar
Cristiane Celina/ Assessoria Empaer

A | A
Apresentação de pré-projetos de programas de capacitação de agricultores familiares dos segmentos público e privado foi realizada durante reunião técnica na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), na manhã desta sexta-feira (13.07). No primeiro projeto apresentado, pelo diretor executivo do Sistema Famato, Seneri Paludo, a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) e a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) irão construir centros de treinamento com estrutura física completa, incluindo refeitório e alojamento para potencializar os treinamentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) com foco em “motomecanização”, aliando os ensinamentos teóricos com as experiências práticas. Foram realizadas pesquisas de campo com um mapeamento das principais culturas do stado, onde estruturas já existentes serão aproveitadas. “A intenção desse projeto é fazer um êxodo urbano, levando o pessoal da cidade devidamente capacitado para trabalhar no campo”, explicou Paludo. Ainda está prevista a utilização de unidades móveis (caminhões que servirão de apoio para realização de cursos específicos como pulverização, segurança do trabalho, mecanização, manutenção entre outros). Os recursos destinados no pré-projeto são da Ampa, sendo R$ 15,4 milhões em construções e adequações de estruturas físicas e R$ 2,8 milhões para as unidades móveis. A segunda apresentação foi do secretário de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), Carlos Luiz Milhomem de Abreu, com o projeto Centro de Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Cadaf), onde a produção foi pensada em sistemas, com organização social e implantação de Centros de Apoio nos 15 consórcios intermunicipais já existentes. O projeto contempla um viveiro para produção de mudas de espécies nativas para cada Centro, um milhão de alevinos por ano em cada Estação Experimental de Piscicultura entre outros, recursos esses provenientes da Emenda Parlamentar prevista, no valor de R$ 13,2 milhões. “A intenção é montar uma estratégia diferenciada para fazer chegar aos pequenos produtores a tecnologia e o uso de máquinas de ponta, tratores e implementos, e as ordenhadeiras mecânicas”, ressaltou o secretário Carlos Milhomem. Já o Sistema Cooperativo de Crédito (Sicredi) tem em andamento o projeto consolidado denominado “Cooperar e Crescer” com mais de 300 pessoas trabalhando de forma direta, em 11 municípios de Mato Grosso. O próximo passo é unir essas três vertentes: ensino/capacitação (Senar/Famato), fomento à produção (Sedraf, Empaer e Intermat) e a comercialização (Sicredi) em um só projeto. Ficou definido um técnico para cada entidade para elencar as responsabilidades que serão assumidas no projeto único. “A ideia principal é fazer capacitação da mão de obra familiar e somente com a parceria entre as esferas públicas e privadas é que vai ser possível a realização desse projeto, onde a Empaer já vem contribuindo com assistência técnica e extensão rural”, ressaltou o presidente da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Enock Alves dos Santos. Estiveram reunidos representantes do Sistema Famato, Sedraf e as vinculadas (Empaer) e Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), do Sicredi, além de representantes da Casa Civil e Superintendência Federal de Agricultura de Mato Grosso (SFA/MT) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).