Pular para o conteúdo
Voltar

Estação de Piscicultura da Empaer comercializa alevinos de tambacu em Livramento

Estação de Piscicultura da Empaer comercializa alevinos de tambacu em Livramento
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Começa no dia 12 de fevereiro (sexta-feira), a comercialização de alevinos de tambacu na Estação de Piscicultura da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), no município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao Sul de Cuiabá). O chefe da estação, Balzac Santana Lopes, comenta que produzem alevinos para recria e engorda disponibilizando toda tecnologia de reprodução e produção das espécies para os pequenos produtores da região. Hoje a Empaer dispõe de 39 tanques, sendo 12 de pesquisa e 27 para recria. Os preços dos alevinos são considerados os melhores da praça e com a vantagem da entrega ser imediata. Os preços variam de acordo com tamanho, alevinos medindo de três a cinco centímetros de comprimento, da espécie tambacu estão sendo comercializados a R$ 120,00 e acima disso, a R$ 200,00 o milheiro. Santana orienta os piscicultores a fazerem reserva antecipada para compra dos alevinos. O pagamento deverá ser feito por boleto bancário adquirido em qualquer escritório da empresa. Conforme Balzac, não será aceito este ano, a transferência on line como pagamento. O empresário, José Sifuentes Machado Filho, proprietário de uma área de 20 hectares, nas proximidades do Rio Bandeira (15 km de Cuiabá), possui um tanque de 125 metros quadrados, para produção de 700 a 1 mil alevinos para consumo próprio. Segundo Machado, a experiência com a criação de alevinos será um teste para acompanhar o crescimento da espécie e futuramente produzir comercialmente. Ele pretende adquirir alevinos da Estação de Piscicultura da Empaer com tamanho acima de seis centímetros de comprimento. “Fui orientado a comprar alevinos de qualidade, maiores e não ultrapassar a quantidade de mil unidades devido à capacidade do tanque. O maior problema é a falta de oxigenação durante a engorda dos peixes”, esclarece José Filho. Balzac explica que o tambacu é o peixe mais procurado pelos piscicultores, pois não possui muita gordura e cresce em menos tempo em comparação com o pacu. Ele informa que o cruzamento realizado com a fêmea do tambaqui e com o macho do pacu, com a fertilização surge o tambacu. E são facilmente transportados em embalagens plásticas com oxigênio, que garante um transporte seguro por mais de 5 horas. Para compra dos alevinos - Estação de Piscicultura da Empaer – (65) 9983-8195.