Pular para o conteúdo
Voltar

Falta de produção de frutas prejudica desenvolvimento industrial em Tangará da Serra

Falta de produção de frutas prejudica desenvolvimento industrial em Tangará da Serra
Cristiane Celina (Assessoria)

A | A
Uma indústria de beneficiamento de frutas (única atuando no estado) localizada no município de Tangará da Serra (a 239 Km a Médio-norte de Cuiabá) está com problemas quanto à escassez de matéria-prima, no caso, frutas como abacaxi e maracujá, em quantidade suficiente e de boa qualidade para atender o mercado consumidor. Por isso, uma reunião entre a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), MT Regional, Sociedade Mato-grossense de Fruticultura e a indústria Tropical Frutas na tarde do dia 20.05 (quinta-feira) discutiu estratégias para o desenvolvimento da cadeia produtiva da fruticultura no estado. A indústria tem uma área arrendada de 150 hectares com plantação de abacaxi e produção de 150 toneladas/dia de frutas processadas e tem condições de aumentar mais duas linhas de produção e aumentar sua capacidade para 450 toneladas/dia. Para que isso aconteça é necessário despertar o interesse dos pequenos e médios produtores da região. Para dar todo o apoio que o pequeno produtor vai precisar para trabalhar com frutas será montado um plano de ação onde teremos uma integração de todos os órgãos competentes para fomentar a produção da fruticultura em Mato Grosso. A intenção é fazer um polo de produção de frutas a princípio em Tangará da Serra e municípios vizinhos. “Não existe fruticultura em Mato Grosso se não houver extensão rural”, ressaltou Duílio Mayolino Filho, Presidente da Sociedade Mato-grossense de Fruticultura. Para tentar suprir suas necessidades e contribuir para o desenvolvimento da fruticultura na agricultura familiar a indústria tem doado mudas para os produtores. “Nós atendemos os produtores do assentamento Bezerro Vermelho, de Tangará e também fornecemos mudas para os municípios vizinhos. Nossa empresa tem capacidade para mais toneladas, só falta a fruta, em função disso ajudamos a fomentar a produção delas na região”, informou o zootecnista Maicon Fogliatto, Diretor Administrativo da Tropical Polpa de Frutas Tangará Ltda. A próxima reunião técnica, marcada para o dia 02.06, implementará dados para elaboração do projeto contendo todos os pontos necessários para efetivar a produção do início ao fim, com propostas de fomento para facilitar transporte, apoio financeiro, apresentar custos de produção e os lucros com a fruticultura. Mobilizar os produtores a se organizarem em associações ou cooperativas para que eles tenham maior poder de barganha. “A melhor estratégia é envolver os setores estabelecendo os papeis de cada órgão, aí sim, teremos um desenvolvimento sustentável da fruticultura no estado”, destacou Enock Alves dos Santos, presidente da Empaer. É importante ressaltar que a fruticultura tem um excelente mercado e o projeto trabalhará com as chamadas empresas âncoras (que são empresas já estabelecidas que irão comprar toda a produção). Segundo pesquisa de mercado realizada pela indústria, as frutas com maiores potenciais de comercialização aqui em Mato Grosso são o abacaxi, maracujá, manga, caju, acerola e a banana.