Pular para o conteúdo
Voltar

Feira do Peixe começa nesta terça-feira em Guarantã do Norte

Feira do Peixe começa nesta terça-feira em Guarantã do Norte
Rosana Persona (Empaer-MT)

A | A
Começa, nesta terça-feira (11.04), a 7ª feira do peixe produzido em cativeiro, no município de Guarantã do Norte (715 km ao Norte de Cuiabá). Serão comercializadas espécies de peixe da Bacia Amazônica, tais como, tambaqui, piau, jatuarana, lambari, pintado, e outros. A piscicultura é uma atividade com grande potencial produtivo na região e o evento ocorrerá até o dia 13 de abril, na Feira do Produtor Rural, das 8h às 20h. Com objetivo de divulgar a criação de peixe em cativeiro, a expectativa dos piscicultores é comercializar durante o período da Semana Santa aproximadamente cinco toneladas de pescado. A Feira do Peixe é realizada pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Turismo, em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Vigilância Sanitária. A médica veterinária da Empaer, Aida Sampaio, esclarece que, em 1994, foi iniciada a atividade com a criação de peixe em cativeiro no município. Uma Lei Municipal criou a Feira do Peixe, com o objetivo de incentivar a comercialização da produção. Hoje, estima-se que são produzidas em torno de 50 toneladas de peixe em cativeiro por ano. “O município está reativando a Feira do Peixe, incentivando a cadeia produtiva”, enfatiza. Os técnicos da Empaer em Guarantã do Norte desenvolvem ações na área de piscicultura desde 1991 e trabalham com os produtores para conseguir a legalização da atividade para produzir de forma econômica. De acordo com Aida, durante a Feira, os técnicos vão acompanhar desde o transporte, comercialização e tudo que se refere à manipulação e conservação do pescado. O consumidor vai encontrar peixe vivo, peixe limpo com escamas (eviscerado), postas e outros. Foi desenvolvido um trabalho junto à cadeia produtiva da piscicultura, devido ao interesse e a procura dos produtores por outra fonte de renda, e por ser também uma das características viáveis para a região, em função do potencial hídrico, das condições topográficas e solo. Vale lembrar, ainda, que a comercialização do peixe irá ocorrer todo mês, na Feira do Produtor Rural.