Pular para o conteúdo
Voltar

Funcionários da Empaer participam de palestra sobre os cuidados e prevenção contra Aids

Funcionários da Empaer participam de palestra sobre os cuidados e prevenção contra Aids
ROSANA PERSONA (Jornalista)

A | A
Para lembrar o Dia Mundial de Luta Contra a Aids (01.12), que não tem cura mas tem tratamento, funcionários da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) participaram de uma palestra sobre os cuidados, prevenção, medo e o preconceito da doença. A representante do Centro Estadual de Média e Alta Complexidade da Secretaria Estadual de Saúde, Elisa Figueiredo Orama, enfatiza sobre o diagnóstico precoce que garante o tratamento e previne que outras pessoas não sejam infectadas. Segundo dados do Ministério da Saúde o Estado de Mato possui 6.731 soropositivos, ocupando o quinto lugar na classificação nacional. No Brasil existem 630 mil portadores do HIV e 400 mil pessoas desconhecem o seu estado sorológico por não ter o sintoma da doença. São notificados entre 33 mil a 35 mil novos casos de Aids por ano no país. De 1980 a 2008, foram registrados 506.499 de Aids, com 205.409 mortes (1980 a 2007). “A doença pode levar até 10 anos para apresentar algum sintoma”, esclarece Elisa. Ela sanou algumas dúvidas dos funcionários e explicou a diferença entre HIV e Aids. “Muitas pessoas acham que se trata da mesma coisa, o HIV é o vírus da imunodeficiência humana e a Aids é a síndrome provocada pelo vírus. A pessoa pode ser soropositivo e não ter a Aids. Quando alguém tem Aids, o HIV destrói as células de defesa do corpo, o organismo enfraquece e as doenças oportunistas podem se manifestar. O teste e o tratamento são gratuitos e o paciente conta com apoio psicológico”, comenta Elisa. A Gerente de Comunicação da Empaer, Shirley O’Campos, fala que a Aids é uma doença que pode ser evitada e o sexo pode ser seguro com a utilização de preservativos. “Hoje ainda o HIV é visto com preconceito e medo por grande parte das pessoas. A palestra veio justamente para esclarecer a doença e mostrar que podemos ser solidários”, salienta Shirley. A revisora e tradutora da Empaer, Euriko Matsubara Kuroyanagi, elogiou a palestra que apresentou também vídeos sobre algumas doenças sexualmente transmissíveis como Sífilis, cancro mole, gonorréia e outras. Segundo ela, as informações sobre a vida de uma pessoa infectada devem ser compartilhadas com os demais, “pois só se contrai Aids no ato sexual e não no abraço”, conclui Euriko.