Pular para o conteúdo
Voltar

Horta e flores tropicais serão cultivadas por reeducandas em Cuiabá

Horta e flores tropicais serão cultivadas por reeducandas em Cuiabá
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
O presidente da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Layr Mota Silva, esteve reunido com o secretário de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Márcio Dorileo para definir o projeto de implantação de hortas, cultivo de plantas medicinais e flores tropicais que serão executados no presídio feminino Ana Maria do Couto, em Cuiabá. O objetivo do projeto é capacitar as mulheres que estão cumprindo pena na unidade, fornecer hortaliças para consumo no refeitório e comercialização. Conforme Layr será assinado um termo de cooperação e os técnicos da Empaer auxiliarão as reeducandas com informações para montagem da horta, no preparo da terra, plantio das hortaliças, além de técnicas para manter os alimentos saudáveis até a colheita. Os canteiros de flores tropicais e plantas medicinais serão mais uma alternativa de ressocialização na unidade prisional e, futuramente, para comercialização. O secretário Márcio destacou que está empenhado em estreitar a parceria. E lembra que todas as detentas serão devolvidas para a sociedade quando cumprir a pena e ainda terão uma profissão no futuro. O projeto está previsto para começar em novembro, com a preparação do terreno e plantio das mudas. Para discutir o termo de cooperação e o projeto a ser executado foi realizada uma reunião com a presença dos diretores da Empaer, Antonimar Marinho dos Santos, Rogério Monteiro Costa e Silva, superintendente de Gestão Penitenciária, Flávia Emanuelle de Souza Soares, assessor da Sejudh, Jefferson Luz, representante da igreja Assembléia de Deus, Marco Antônio Pardi e técnicos da Empaer.