Pular para o conteúdo
Voltar

Mulheres rurais participam de oficinas contra violência doméstica

Mulheres rurais participam de oficinas contra violência doméstica
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Aproximadamente 90 mulheres das comunidades rurais Baús, Chapada Vacaria e Aldeia, localizadas no município de Acorizal (67 km ao norte de Cuiabá), participaram de oficinas temáticas sobre violência contra mulheres, cidadania e direitos, agricultura familiar, autonomia econômica e outros. Durante as oficinas, elas receberam a visita do Ônibus Lilás, unidade móvel de combate e enfrentamento à violência contra a mulher no campo. O evento, realizado nas comunidades entre os dias 06 e 08 de julho, é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Prefeitura Municipal de Acorizal e Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetagri). No encontro, foi realizada uma roda de conversa com as mulheres das comunidades e pesquisa sobre o perfil da mulher Mato-grossense. O ônibus disponibilizou psicóloga, assistente e educador social. Segundo a colaboradora do Conselho da Mulher, Glória Grandez Muñoz, os índices de agressões e mortes ainda são alarmantes, principalmente quando se trata de zona rural, pois as vítimas estão muito distantes de qualquer órgão de denúncia. Por isso, conforme a coordenadora do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Acorizal, Elis Regina Prates, as palestras têm o enfoque de trazer a paz e criar mecanismos de defesa contra a violência doméstica. A superintendente Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres de Mato Grosso, Isabel Cristina da Silveira, explicou que o Ônibus Lilás é um meio de informação para as mulheres do campo sobre os tipos de violência e a rede existente no Estado para atender essas mulheres. De acordo com Isabel, a unidade móvel e as oficinas temáticas vão percorrer mais 20 municípios até o final de 2015. A produtora rural e membro da Associação da Mulher da Aldeia (AMA), Lenir Maria da Silva, destacou a importância de informar as mulheres sobre a violência no campo e auxiliar no combate. O distrito da Aldeia possui uma população de aproximadamente 600 pessoas, entre produtores rurais, ribeirinhos e aposentados. Segundo a produtora, a comunidade ainda é bem tranquila e não há muitos casos de violência. Durante as oficinas, o técnico agrícola da Empaer, Liduíno João de Lima, também falou de crédito rural e apresentou alternativas para que a mulher do campo consiga financiar a produção por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar –Pronaf/Mulher.