Pular para o conteúdo
Voltar

Oficina capacita agricultores em cooperativismo e associativismo

Oficina capacita agricultores em cooperativismo e associativismo
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Com objetivo de informar sobre as diferentes formas de cooperativismo e associativismo foi realizada uma Oficina Técnica no Assentamento Rural Caeté, localizado no município de Diamantino (208 km a médio-norte de Cuiabá). O evento contou com a participação de 15 agricultores familiares e foi organizado pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) em parceria com a Associação da Agricultura Familiar Sustentável de Policultura (Ceiba). A extensionista social da Empaer, Deusimar Muniz Lima, destacou em sua palestra valores éticos e morais dentro de uma organização. O técnico agropecuário da Empaer, Irapuan Rodrigues da Silva, relatou sua experiência com trabalhos desenvolvidos na área de cooperativismo e falou sobre a importância da organização nos aspectos financeiro, documental, comprometimento entre os membros e relacionamento interpessoal. O produtor rural e associado da Ceiba, José Lemes da Silva Filho, falou que as dinâmicas realizadas durante a oficina ajudou a entender melhor sobre cooperativismo e associativismo, e sugeriu que seja colocado em prática o trabalho de mutirões em propriedades rurais. “Já trabalhei com esse sistema no passado, além de promover a união, amizade, o trabalho rende mais e a execução é prazerosa”, enfatizou Lemes. O secretário da Ceiba, Antonio Marques Martins, explicou que diante da inclusão de novos sócios a diretoria se preocupou em preparar o associado para desempenhar suas funções dentro da organização. Segundo Martins, a responsabilidade é dividida entre os membros da associação e a finalidade do grupo é melhorar a qualidade de vida dos agricultores familiares. Uma das capacitações foi feita em parceria com o Instituto Votorantim, por meio do Projeto Resgatando o Sistema de Policultivo. O projeto atende 15 famílias de agricultores familiares que cultivam em uma área de um hectare, feijão, mandioca e melancia. São realizadas capacitações em agroecologia, comercialização, segurança do trabalho, organização, aquisição de insumos e equipamentos. A engenheira agrônoma da Empaer, Josivanny Santos e a extensionista Amélia Pudlo foram responsáveis pela organização da Oficina. Amélia destaca que a capacitação também teve como finalidade rever conceitos, aprimorar o estatuto e motivar o trabalho em grupo. As oficinas foram realizadas no mês de abril.