Pular para o conteúdo
Voltar

PAC - Embrapa aprova R$ 2,4 milhões para reestruturação do setor de pesquisa da Empaer

PAC - Embrapa aprova R$ 2,4 milhões para reestruturação do setor de pesquisa da Empaer
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Foi aprovado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) recursos na ordem de R$ 2,4 milhões, para serem aplicados na Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). O montante será aplicado neste ano, na reforma dos três Centros de Pesquisa e seis Campos Experimentais com o objetivo de gerar conhecimento e tecnologia para o desenvolvimento sustentável do meio rural, priorizando a agricultura familiar. A coordenadora de Pesquisa da Empaer, Eliane Forte Daltro, esclarece que desde 2008, foi elaborado um novo modelo de gestão de pesquisa oferecido à agricultura familiar com a participação das 17 Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária (OEPAs). Em 2009, a Empaer recebeu recursos na ordem de R$ 950 mil, para compra de 19 veículos e aproximadamente 35 computadores. Em 2010, foi liberada uma parcela de R$ 3,4 milhões, para investimento, construção de laboratórios de sementes, fruticultura, floricultura, aquisição de máquinas, equipamentos e a melhoria das condições de trabalho dos 29 pesquisadores da empresa, distribuídos pelo Estado de Mato Grosso. Neste ano, com os recursos do PAC-Embrapa serão implantados quatro bancos de germoplasma, distribuídos nos campos experimentais, nos municípios de Rosário Oeste, Várzea Grande e Cáceres. O banco de germoplasma tem a finalidade de garantir a sobrevivência das sementes de espécies ortodoxas, nativas do Cerrado, Pantanal e Amazônia e principalmente das espécies em extinção. Conforme Eliane, a criação de bancos de germoplasma contribui para a preservação da variabilidade genética em função de reunirem ao mesmo tempo constituições genéticas de diferentes origens e diferentes níveis de melhoramento, ou seja, variedades antigas, modernas e silvestres do mesmo gênero. “Para que essa variabilidade seja utilizada com freqüência e eficiência, é necessário que o pesquisador conheça o germoplasma disponível em relação à variabilidade e ao desempenho agronômico”, destaca Daltro. Ela destaca que para o laboratório de solos, onde são realizadas as amostras dos solos para verificar a fertilidade da terra será adquirido um aparelho de absorção atômica, que faz a leitura de macro/micronutrientes, metais pesados para determinar contaminação do meio ambiente e outros. Para conferir a composição química e orgânica dos alimentos, o laboratório da Empaer vai contar com o cromatógrafo, equipamento também usado em todas as áreas da ciência. Entre os benefícios deste convênio destaca-se o fornecimento de genótipos produtivos e adaptados para os diferentes biomas. Para que isso ocorra na prática, segundo a coordenadora, é preciso que a infra-estrutura dos centros de pesquisa, sejam adaptadas e reestruturadas a proporcionar condições adequadas ao desenvolvimento da pesquisa para os produtores tradicionais e assentados do Estado. Para adequação dos laboratórios, complementação de móveis, equipamentos de informática, ampliação da frota de veículos, máquinas agrícolas, implementos, recuperação dos centros de pesquisa, estação de piscicultura e campos experimentais. Até o final de 2011, o setor de pesquisa terá recebido do PAC-Embrapa recursos na ordem de R$ 6,75 milhões. “O recurso será aplicado para estruturar os laboratórios para atender a demanda dos produtores rurais”, enfatiza Elaine.