Pular para o conteúdo
Voltar

Pesquisa avalia 80 linhagens de feijoeiro comum em MT

Pesquisa avalia 80 linhagens de feijoeiro comum em MT
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Pesquisadores da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) avaliam 80 linhagens de feijoeiro-comum em 12 municípios do Estado. O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, fala que durante o período de armazenamento dos grãos ocorrem alterações químicas que modificam rapidamente a coloração do feijão , ocasionando depreciação no valor culinário e econômico. Os experimentos vão acompanhar o desenvolvimento de cultivares que apresentem retardamento no escurecimento dos grãos do feijão Carioca, maior durabilidade no armazenamento e linhagens ricas em sais minerais como ferro (Fe) e zinco (Zn), ideais para o consumo humano e para atender a merenda escolar. Valter explica que os grãos escuros são associados com grãos velhos e com prolongado tempo de cozimento, sendo rejeitados pelos consumidores. O trabalho busca cultivares de feijão Carioca com baixo tempo de cocção após o armazenamento. Segundo Martins, encontrar uma variedade assim trará vantagens para o agricultor no armazenamento dos grãos por um período maior e flexibilidade para aguardar melhores preços na comercialização. “Estamos pesquisando linhagens com qualidade visual dos grãos e durabilidade de até 90 dias”, explica Valter. Conforme Almeida, os resultados preliminares da pesquisa serão divulgados em julho de 2015. Ele ressalta que no município de Sinop e Campo Verde esta semana estão realizando a colheita do feijão das águas. Com uma produção de 287 mil toneladas, Mato Grosso está classificado em terceiro lugar na produção de feijão (comum + caupi) no Brasil, com uma área aproximada de 212 mil hectares (Conab, 2013). O projeto de pesquisa é realizado em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) em busca de cultivares e ajustes técnicos relacionados às praticas agrícolas e às condições locais para um melhor desempenho quantitativo e qualitativo do feijão. Serão realizados trabalhos de campo nos seguintes municípios: Colniza, Aripuanã, Juina, Campo Novo do Parecis, Tangará da Serra, Sinop, Sorriso, Barra do Bugres, Acorizal, Cáceres, Campo Verde e Rondonópolis.