Pular para o conteúdo
Voltar

Pesquisa avalia cultivares de banana durante a colheita no município de Cáceres

Pesquisa avalia cultivares de banana durante a colheita no município de Cáceres
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Após 12 meses de plantio, 27 cultivares de bananeira e híbridos dos tipos, Maçã, Prata, Nanica e Terra entram na fase de colheita e avaliação das características produtivas e resistência a doença Sigatoka Negra. O trabalho é realizado no Centro Regional de Pesquisa e Difusão de Tecnologia da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), no município de Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá), com objetivo de selecionar uma cultivar produtiva com boa aceitação comercial. O pesquisador da Empaer, Humberto Carvalho Marcílio, fala que a fase de colheita vem sendo realizada com as variedades precoces, avaliando as características produtivas (peso do cacho, número de pencas, frutos e resistência a doenças). Ele esclarece que no período da inflorescência, ou seja, na emissão da flor algumas variedades têm demonstrado grande tolerância à Sigatoka. Para tornar a variedade comercial serão avaliados três ciclos de produção, e os resultados serão apresentados em 2015. O Mato Grosso ocupa uma área de 6,8 mil hectares com uma produtividade média de 64 mil toneladas de banana (IBGE/2011). Os municípios de Livramento, Nova Bandeirante e Guarantã do Norte são os mais produtivos, juntos ocupam uma área de 1,5 mil hectares de banana. Conforme Marcílio, o trabalho de pesquisa vai dar maiores opções para os bananicultores e agricultores familiares a cultivarem variedades que atenda a demanda do mercado consumidor e adaptado ao ambiente proporciona uma redução no custo de produção pelo menor uso de agroquímicos, além de diminuir o impacto ambiental e produzir uma fruta mais saudável. Além da seleção de cultivares de banana tem a coleta do material genético para formação de um banco de germoplasma. As coletas já foram realizadas nos municípios de Apiacás, Nossa Senhora do Livramento, Nobres, Ribeirão Cascalheira e outros. O estado faz parte da Rede Nacional de Avaliação de Cultivares de bananeira e tem como uma das finalidades selecionar cultivares de banana tradicionalmente plantadas. “Estamos trabalhando para selecionar cultivares resistentes a doenças e com boa aceitação no mercado”, declara Humberto.