Pular para o conteúdo
Voltar

Pesquisador da Empaer seleciona variedades de alface americana produtivas para MT

Pesquisador da Empaer seleciona variedades de alface americana produtivas para MT
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
No cultivo de hortaliças, o sistema hidropônico é mais uma modalidade tecnológica que permite baixar custos e melhorar a qualidade da produção Para avaliar o desempenho de 16 genótipos de alface americana, no sistema de cultivo hidropônico (sem uso do solo), o pesquisador da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Nesvaldo Bento de Oliveira, realizou experimentos nos municípios de Cuiabá e Nova Mutum. Foi observado diferenças significativas de seis genótipos de alface quanto à produção das folhas, caule e raiz, apresentando maior produtividade e lucro para os produtores rurais. Numa época de grandes variações climáticas, como excesso de chuvas e estiagem é importante buscar alternativas de produção a fim de garantir boas safras. No cultivo de hortaliças, o sistema hidropônico é mais uma modalidade tecnológica que permite baixar custos e melhorar a qualidade da produção. Nesvaldo esclarece que após o resultado da análise estatística os genótipos foram divididos em três categorias, grupo de alto, médio e baixo desempenho e foi possível verificar o bom rendimento das cultivares Mauren, Lucy Brown, Tereza, Gloriosa, Irene, Júlia e Delícia. Os experimentos foram realizados no período de julho a setembro de 2010, na propriedade do produtor rural, Ademir Triches, em Nova Mutum, e em Cuiabá, na área da produtora Hayame Sakamoto. O cultivo hidropônico foi instalado e conduzido em quatro estufas de vegetação, do tipo arco individual confeccionadas de madeira, cobertura de polietileno e tela com sombreamento de 50% nas laterais. As duas casas de vegetação foram instaladas com eixo longitudinal no sentido leste/oeste, para reduzir o sombreamento interno. As plantas foram colhidas aos 50 dias após a semeadura, quando atingiram o máximo desenvolvimento vegetativo. As variedades do grupo alto foram recomendadas para os agricultores de Mato Grosso. Conforme Oliveira, o trabalho permitiu uma seleção preliminar, pois se faz necessário a continuidade de pesquisas nesta linha, por meio de avaliações com base em critérios mais elaborados, como a eficiência dos nutrientes. “A intenção é indicar cultivares de alface mais eficiente no uso de nutrientes, permitindo a manutenção de altas produções com menores doses, o que pode reduzir o custo de produção e aumentar a renda do produtor”, revela. O sucesso do cultivo de alface em hidroponia depende da escolha correta das cultivares, levando em consideração o tipo mais aceito pelo mercado consumidor, como a capacidade de adaptação às condições locais de clima, produtividade, qualidade, manejo da cultura, ciclo, resistência a doenças e pragas. “Essa técnica utiliza água e sais minerais para o desenvolvimento de plantas em ambientes protegidos”, destaca Oliveira. O cultivo de plantas por hidroponia, além de representar um avanço tecnológico à disposição de grandes produtores pode ser implantado em pequenas propriedades agrícolas, sítios ou chácaras, em terrenos localizados nos centros urbanos. A Empaer presta assistência técnica especializada e auxilia na montagem das estufas, onde são cultivadas hortaliças em ambientes protegidos, sem resíduos de agrotóxicos. As verduras têm o mesmo período de crescimento que no sistema convencional, ou seja, em 50 dias. Somente algumas técnicas são diferentes do cultivo tradicional. O pesquisador cita que a vantagem da hidroponia é o cultivo em ambiente protegido, a preparação das mudas em substratos inertes que são transplantadas nas bancadas suspensas sem o contato com o solo, produção fora de época, reduzindo riscos de adversidades climáticas, baixo volume de água e retorno econômico ao produtor. O projeto de pesquisa foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat) e contou com o apoio financeiro dos produtores de Nova Mutum e Cuiabá.