Pular para o conteúdo
Voltar

Pomar de limão irrigado produz o ano todo em Cáceres

Pomar de limão irrigado produz o ano todo em Cáceres
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
O produtor rural, José Belizário Neto, da Comunidade Cacimba, localizada no município de Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá), cultiva há dez anos, meio hectare de limão Tahiti. As mudas foram adquiridas no Centro Regional de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (CRPTT), da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). Com uma produção de 320 quilos por planta, utiliza irrigação e produz o ano todo. Os engenheiros agrônomos da Empaer, José Antônio Gonçales e Ademar Okada prestam assistência técnica na propriedade. José Antônio comenta que foram plantados 100 pés de limão Tahiti, numa área de meio hectare e um dos problemas enfrentados pelo produtor José Belizário, era no período da seca quando a produção reduzia. Para evitar maiores perdas, introduziram tecnologia e irrigação em 2011. No mês de junho iniciaram a irrigação com adubação básica para produção de citros. Em julho, ocorreu a floração e até o ponto de colheita levou 120 dias. “Nesse período de implantação foi feito um acompanhamento técnico para conferir a condução da lavoura. Agora o produtor colhe na safra e entressafra, ou seja, o ano todo” esclarece. Devido aos bons resultados, o produtor já pensa em ampliar a área de plantio para um hectare, fazendo um novo pomar. A intenção do produtor é produzir frutas o ano todo para abastecer o comércio local e outras regiões. Ele recorda que no período da entressafra, o preço do limão é vendido por R$ 3,00 o quilo e na safra não ultrapassa a R$ 1,00 o quilo. Segundo Gonçales, com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) será montada uma Unidade Didática de Subsistência Econômica (UDSE), e será realizado um Dia Especial para apresentar a tecnologia implantada no cultivo do limão Tahiti, na região de Cáceres. No Brasil, a árvore chegou apenas na segunda década do século 20, quando ocorria a epidemia da gripe espanhola. Nessa época o limão era vendido a “peso de ouro”. Desde então, a frutífera tornou-se indispensável para o brasileiro. O extrato do limão é amplamente usado em bebidas, doces, sorvetes, molhos para saladas, remédios, produtos de limpeza, sabões, cosméticos e outros. O limão vem do ácido cítrico, eficaz no combate a gripes e resfriados e que também ajuda a regularizar as taxas de colesterol. Viveiro de mudas - A chefe do Centro Regional, Nara Regina Gervini Souza, fala que são multiplicadas também mudas de várias frutíferas e espécies florestais para atender os produtores da região e Estado. De citros tem as mudas de tangerina e laranja pera das variedades D6 e D9 estarão à disposição dos produtores. Conforme Nara, as mudas de limão tahiti são vendidas por R$ 10,00 e prontas para o plantio.