Pular para o conteúdo
Voltar

Primeiro Seminário sobre conservação de microbacia do São Lourenço em São Pedro da Cipa

Primeiro Seminário sobre conservação de microbacia do São Lourenço em São Pedro da Cipa
Ascom/São Pedro da Cipa

A | A
São Pedro da Cipa foi o primeiro município a receber um seminário para discutir a conservação das nascentes do Rio Caninana, microbacia do São Lourenço. O evento aconteceu entre os dias 29 e 30 de junho e foi realizado Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa Assistência e Extensão Rural (Empaer), Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Lourenço, com o apoio da prefeitura municipal e do Consórcio de Desenvolvimento Social, Econômico e Ambiental da Região Sul de Mato Grosso (Cidesasul). Denominado o 1°seminário da Bacia do São Lourenço para Recuperação das Nascentes do Caninana, o encontro contou uma programação de debates, palestras e até visita a Gleba Pombal, uma região rural com extensa área de nascentes.A coordenação das oficinas informativas ficou por conta de especialistas, como a superintende da Sema, Vânia Márcia, a membro do Comitê de Apoio a Bacias, Eunice Souza do Vale, Maria Regina e do biólogo palestrante, João Fernando. Conforme o diretor de Agricultura e Meio Ambiente do município, Cláudio Francisco, um extenso cronograma de trabalhos vem sendo cumprindo, desde o início do ano, junto as escolas, projetos Mata Viva e Ação Verde, além de diversos parceiros. “Estamos fazendo a recuperação de diversas nascentes áreas rurais. Um trabalho de conscientização, que tem gerado resultados significativos”, ressaltou. Secretário executivo do Cidesasul, o engenheiro florestal Rosandro de Moura, analisa esse como um passo fundamental, visto que a comunidade acadêmica do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), pólo de Jaciara, se fez presente. “Essa união nos instrumentaliza no desenvolvimento de ações concretas e eficazes. O consórcio estará sempre junto nesse tipo de ato, que só vem a beneficiar a nossa região’, garantiu. Mariana Ribeiro é acadêmica do IFMT e reconheceu. “Vimos muitas coisas, que nem pensávamos como fazer e aqui vamos fazer do jeito certo, não do jeito errado”, comentou. O prefeito Alexandre Russi, esteve conversando com os organizadores e disponibilizou toda a estrutura necessária para qualquer tipo de trabalho, seja ele de reflorestamento ou conscientização. “Essa união é fundamental, para que nós e a sociedade possamos agir com total eficácia, na conservação de nossas nascentes, como a do rio Areia. Temos e precisamos fomentar essa conscientização”, assegurou.