Pular para o conteúdo
Voltar

Produtor rural testa cultivares de feijoeiro comum no Noroeste de MT

Produtor rural testa cultivares de feijoeiro comum no Noroeste de MT
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
Com objetivo de reforçar o cultivo do feijão na agricultura familiar foi instalada uma Unidade Demonstrativa (UD) de Feijoeiro Comum na propriedade do produtor rural, Pedro Miranda da Silva, no município de Colniza (1.065 km a Noroeste de Cuiabá), para validação das cultivares BRS Campeiro do grupo preto e BRS Estilo do grupo carioca. Esse trabalho vem sendo executado pela Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Centro Nacional de Pesquisa de Arroz e Feijão, produtores rurais, para verificar os genótipos que melhor se adaptam às condições de cultivo. Numa área de 100 hectares, o produtor Pedro possui plantio de café, milho, mandioca, cana de açúcar, criação de pequenos animais e gado leiteiro. Os resultados com o cultivo manual são satisfatórios, a variedade BRS Estilo produziu 550 quilos por hectare e a Campeiro 300 quilos por hectare. Segundo Pedro, pretende cultivar as duas variedades e pela primeira vez vai cultivar o feijão preto. “Planto sempre com orientação dos técnicos da Empaer”, confessa o produtor. Ele destaca que a cultura do feijoeiro é uma alternativa de renda para os produtores rurais e as sementes oferecidas pela Empaer ajudam na escolha do feijão a ser cultivado. O plantio na UD aconteceu no mês de abril e a colheita foi realizada em julho. Os técnicos da Empaer, Reginaldo da Silva Gonçalves e Conceição Santana Ribeiro orientaram o produtor. O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, fala que a variedade de feijão mais consumido em Mato Grosso é do grupo carioca e o feijão preto está conquistando produtores que nem sequer conheciam a variedade. Almeida ressalta que para difundir a cadeia produtiva do feijão é necessário o trabalho conjunto da pesquisa, extensão rural e produtor. Essa integração já possibilitou a instalação da UD de feijoeiro comum em 15 municípios do estado, disponibilizando para a semeadura 13 cultivares de feijão dos grupos comerciais preto, carioca, mulatinho, roxinho, exportação e jalo. “A UD permite estudar o ciclo correto de defensivos, adubos e as variedades que melhor se adaptam ao solo e clima da região”, destaca Valter.