Pular para o conteúdo
Voltar

Produtor testa oito cultivares de feijoeiro comum em MT

Produtor testa oito cultivares de feijoeiro comum em MT
Rosana Persona ( jornalista da Empaer)

A | A
O produtor rural Edilson Nunes, proprietário de 2,5 hectares de terra, no assentamento Santa Maria, localizado no município de Mirassol D’Oeste (300 km a Oeste de Cuiabá), prepara o solo para a instalação de uma Unidade Demonstrativa (UD) de feijoeiro comum. Serão plantadas oito variedades, sendo duas do grupo carioca, duas do preto, três do mantegão e um roxo. Este é um trabalho de integração da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), prefeitura municipal e comunidade rural com o objetivo de retomar o cultivo do feijão na agricultura familiar. O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, comenta que estão disponibilizando variedades de feijoeiro aos agricultores familiares que melhor se adaptem às condições de cultivo. Conforme Valter, na implantação da UD o produtor recebe orientações sobre época de plantio, espaçamento, tratamento de sementes, controle de pragas e doenças. “Estamos repassando para os produtores variedades melhoradas e consideradas mais rentáveis”, destacou Martins. A técnica em agropecuária da Empaer, Marribe Cardena, que acompanha a implantação da Unidade comenta que o produtor Edilson, cultiva em sua propriedade hortaliças. Ele participa do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Segundo Marribe, com o cultivo do feijoeiro e os testes que serão realizados durante 80 dias, o produtor pretende inserir o feijão para o consumo da família e comercializar o excedente para atender as escolas da região. O pesquisador Valter, ressalta que para difundir a cadeia produtiva do feijão o trabalho vem sendo realizado em conjunto com a pesquisa, extensão rural e produtor. Essa integração vai possibilitar a instalação de unidades de feijoeiro, em 2015, nos municípios de Colniza, Juína, Lucas do Rio Verde, Sinop, Chapada dos Guimarães, Rondonópolis, Mirassol D’Oeste, Cáceres, Acorizal e Tangará da Terra. “É importante o produtor avaliar os resultados da produção, acompanhando na lavoura a produtividade, qualidade culinária, resistência às doenças, época de semeadura e outros”, ressaltou Valter.