Pular para o conteúdo
Voltar

Produtores apostam no girassol e milho pipoca

Produtores apostam no girassol e milho pipoca
Chrystiane da Conceição (Assessoria/Empaer)

A | A
Produtores rurais de Campo Novo do Parecis, 384 km a Médio-Norte de Cuiabá, aproveitaram a topografia plana e suavemente ondulada da região para verticalizarem a produção do girassol e do milho pipoca, a segunda e terceira maior safra local com cerca de 100 mil hectares e 40 mil ha. respectivamente. “O girassol é uma cultura que veio pra ficar e a cada ano nós aprendemos mais. A nossa meta é aumentar o girassol esmagado para 600 toneladas dia, que hoje é de 150 toneladas, e isso é um benefício não só para os associados, mas para a região toda”, destacou o produtor Renato Birck. O cultivo da semente surgiu como uma segunda opção para o alto custo da soja e devido a problemas de logística, inicialmente 40 produtores se uniram para montar a indústria. O secretário de Estado de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf), Luiz Carlos Alécio, visitou o município nessa quarta-feira (07), e comentou que a união dos produtores fez toda a diferença para o município se destacar nessas culturas. “A nossa intenção é mostrar o potencial do agronegócio no estado de Mato Grosso e a Sedraf está presente em cada região, apoiando iniciativas como esta de Campo Novo do Parecis, pois eles saíram na frente dos demais municípios com a verticalização do girassol e do milho pipoca”. Outra aposta dos produtores é a diversificação de culturas que, segundo o presidente do Sindicato Rural de Campo Novo do Parecis, Alex Utida, os produtores estão antenados com as novidades tecnológicas. “Hoje nós temos cerca de 150 produtores associados ao sindicato e é padrão esse perfil que busca as novidades em tecnologias. São mais conscientes de que a diversificação, além de enriquecer o solo, diminui o risco de perdas para o produtor, diferente daqueles que ainda estão no sistema de monoculturas”, ressaltou Utida.