Pular para o conteúdo
Voltar

Produtores de Manso são capacitados para produzir peixe em tanque rede

Produtores de Manso são capacitados para produzir peixe em tanque rede
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Pequenos e médios produtores rurais aquícola de São Joaquim no Paraíso do Manso, localizado no município de Chapada dos Guimarães (67 km ao Norte de Cuiabá), participaram de uma palestra com o O engenheiro de pesca da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Enock Alves dos Santos, sobre criação de peixe em tanque rede. O evento contou com a participação de mais de 25 produtores rurais interessados em utilizar o lago de Manso para criação de peixes. De acordo com Enock, a piscicultura pode render até 25% de lucro para os produtores rurais, mas é necessário receber orientações técnicas para começar na atividade. Ele destacou o projeto piloto com tanques rede realizado pela Empaer nos municípios de Barão de Melgaço e Poconé, em 2002, com objetivo de observar o crescimento do cultivo do pacu. “Os números surpreenderam, peixes de 12 a 15 gramas e 8 a 12 centímetros, em apenas seis meses, atingiram um peso de 660 gramas”, esclarece. Conforme Enock, o teste foi realizado em tanques de 2x3 metros de largura por 1,5 metros de profundidade com 220 peixes, ou seja, 20 peixes por metro cúbico. Foi analisada a densidade, ganho de peso, crescimento, tipo de ração, temperatura da água, Ph e outros. “Acho importante a fase experimental, o teste de viabilidade com o cultivo de determinadas espécies para o tanque rede”, acrescenta. A presidente da Associação dos Produtores de São Joaquim, Maria Aparecida de Andrade, fala que a capacitação foi solicitada para entender melhor sobre o cultivo de pescado em tanque rede. Segundo a presidente, o Governo Federal autorizou a exploração de tanque rede no Lago de Manso para 48 famílias de piscicultores. “Estamos buscando uma linha de crédito para aquisição dos tanques rede para iniciar a atividade, que vai garantir a sobrevivência das famílias”, enfatiza. O presidente da Cooperativa dos Pescadores e Aquicultores de Mato Grosso (Coopeamat), Claudionor Angeli, comenta que o projeto da Cooperativa é colocar 298 tanques rede, divididos para 37 piscicultores, e a intenção é produzir 238 toneladas de pescado por ano. “Estamos buscando melhorar a renda do produtor e a qualidade de vida com o aumento na produção de peixe no lago do Manso”, destaca. A produtora rural Maria Francisca Dias Lessa, da comunidade Barra do Bom Jardim, possui 1 hectare de terra e produz mandioca, abobrinha e quiabo para consumo da família. Ela destaca que a piscicultura sempre foi a forma de sobrevivência da família e o projeto tanque rede é uma esperança para muitos produtores que moram próximo ao lago. O proprietário do sítio Boa Esperança, João Bosco da Silva, possui uma área de 130 hectares e pretende criar peixes no lago. Ele acredita que o aproveitamento múltiplo do lago de Manso é um fator de sobrevivência para os moradores. A capacitação foi realizada no dia 18 de março (sexta-feira), na sede da Associação dos produtores e contou com aula prática no lago.