Pular para o conteúdo
Voltar

Propriedade diversifica a produção e garante lucro e renda para família rural

Propriedade diversifica a produção e garante lucro e renda para família rural
Rosana Persona (Jornalista Empaer-MT)

A | A
Há 32 anos, o produtor rural Joacy Elias Pereira e a esposa, Maria Sebastiana Pinho Pereira, proprietários de uma área de 20 hectares, no município de Santo Antônio de Leverger (34 km ao Sul de Cuiabá), moram no Sítio Ranchinho, na comunidade Sangradouro. A diversificação de culturas e criação de animais é a marca registrada da propriedade que recebe orientação dos técnicos da Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) no cultivo da mandioca, limão, pocan, criação de suínos, alevinos e gado. O produtor fala que a parceria com a Empaer tem dado bons resultados e a assistência técnica tem proporcionado lucro e renda. Ele conta que tudo começou com o cultivo da citricultura, com a implantação de 200 mudas de limão Taiti e 35 mudas de pocan. Hoje eles produzem 60 quilos de limão por árvore em apenas uma semana de colheita e durante dois meses, colhem de nove a duas caixas de pocan. No ano passado, venderam o limão por R$ 50,00 o saco de 20 quilos e a pocan por R$ 30,00 a caixa de 20 kg. Com 3.150 metros quadrados de lâmina d’água, divididos em quatro tanques, realizam cria e engorda de quatro mil alevinos, sendo três mil de tambatinga e mil de pintado. A intenção do produtor é fazer a despesca no momento certo da venda, ou seja, quando o pintado atingir o peso de três quilos, poderá ser comercializado em até R$ 60,00 a peça. A tambatinga com apenas dois quilos é vendida por R$ 20,00 o peixe inteiro, só retirado as vísceras. A comercialização está prevista para acontecer durante a semana Santa. Com a previsão de colher 30 toneladas de mandioca até o mês de março, o produtor Joacy fala que também aprendeu a plantar a cultura com a mandioca e variedade certa que foram indicadas pela Empaer. Vende a mandioca nas feiras e na propriedade por R$ 2,00 o quilo com casca e R$ 2,50 descascada. A produtora Maria Sebastiana comenta que a lida na zona rural é diária, de domingo a domingo, e ela participa ao lado do produtor. O engenheiro agrônomo da Empaer, Henrique Teodoro de Melo, esclarece que são repassadas informações sobre sistema de produção, desde escolha de semente, variedade e também com a criação de animais. E ressalta que todo o trabalho é uma parceria com o produtor, e que depende de ambos para ter sucesso. O Sítio Ranchinho possui também uma pocilga com oito porcas e 30 leitões que são vendidos normalmente no final do ano e consumidos pela família. O gado é utilizado para produção de leite e carne. Joacy recorda que muita coisa mudou na vida da sua família e depois de todos esses anos na labuta da terra se sente um homem realizado em ver suas terras tão produtivas. “Com o auxílio da Empaer e a assistência, tenho conseguido me manter produtivo nessas terras. E tudo que tenho hoje foi graças ao incentivo dos técnicos e o levantamento que foi realizado em minha propriedade, dando oportunidade de produzir diversas culturas e animais”, enfatiza Joacy. De Acordo com Henrique, a agricultura familiar é uma atividade rural produtora de pequena escala diversificada, envolvendo o proprietário e a sua família, e produz exclusivamente para o consumo interno. “E as ações da Empaer têm como objetivo contribuir para o fortalecimento da agricultura com informações e conhecimento técnicos, baseados em sistemas adequados de produção que propiciem o desenvolvimento sustentável da pequena produção e consolidem o crescimento da renda e da melhoria das condições de vida do produtor e sua família”, destaca Melo.