Pular para o conteúdo
Voltar

Reunião visa elaboração das diretrizes técnicas da mandioca

Reunião visa elaboração das diretrizes técnicas da mandioca
CRISTIANE CELINA / Assessoria/Empaer-MT

A | A
A reunião para elaboração das diretrizes técnicas da mandioca, que acontece até sexta-feira (02.10) na Pousada Casa de Retiros, em Chapada dos Guimarães, vai contemplar um conjunto de informações técnicas que orientarão 20 técnicos e dez produtores rurais que cultivam a mandioca em diversos municípios do Estado. O objetivo é estabelecer ações estratégicas que visam desenvolver a cultura da mandioca. Hoje são produzidos em Mato Grosso cerca de 13 toneladas por hectare e a meta é atingir no mínimo 20 toneladas. A cultura da mandioca compreende importante atividade socioeconômica para o Estado de Mato Grosso gerando emprego e renda, tanto nas áreas rurais, nos processos de produção e industrialização, como nas áreas urbanas via comercialização. Da planta da mandioca aproveita-se tudo: a raiz (que é mais conhecida), utilizada em vários pratos regionais; do caule produzem-se as manivas-sementes que vão gerar novas plantas, ainda da raiz é produzida a famosa farinha de mandioca e fécula de mandioca (utilizada na panificação, embutidos como presuntos e mortadelas, papel e na fabricação das pastilhas de remédios). Há duas variedades de mandioca, a mansa (doce) e a mandioca brava (amarga) que contém, naturalmente, grande concentração de ácido cianídrico, altamente tóxico, porém, é seguro consumir a folha na forma desidratada, o que é pouco difundido e é a parte da planta mais rica em nutrientes: vitamina A, ferro, cálcio e vitamina B2 excelente no combate à desnutrição humana e pode ser usada em sucos, sopas, cozidos e outros pratos. “Em Mato Grosso existe apenas uma fecularia, na região de Rosário Oeste (128Km ao Norte de Cuiabá), que está fechada por falta de matéria prima, então, essas diretrizes vão possibilitar aumento de rendimento e organizar o setor mandioqueiro, seja de agricultores, seja de representantes de instituições”, ressalta o engenheiro agrônomo responsável pela organização da reunião, Almir de Souza Ferro. A reunião é resultado de uma parceria da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Secretaria da Agricultura Familiar (SAF) por meio do projeto ATER/MDA 2007