Pular para o conteúdo
Voltar

Sinop sediará curso de arroz em terras altas e produção integrada

Sinop sediará curso de arroz em terras altas e produção integrada
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Acontece no município de Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá), nos dias 1 e 2 de abril, curso de produção integrada, Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e cultivo de arroz de terras altas no sistema de plantio direto. No curso serão abordadas ações para o desenvolvimento de tecnologias para viabilizar a cadeia produtiva do arroz no Estado de Mato Grosso, classificação, qualidade dos grãos, melhoramento genético, controle de pragas, doenças e outros. O evento será realizado no auditório da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e na Fazenda Dona Isabina, (município de Santa Carmem), com aulas práticas. Com objetivo de colaborar com o desenvolvimento da cadeia produtiva, o curso é uma iniciativa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Arroz, Feijão e Agrossilvipastoril (Embrapa), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Empaer, Agropel sementes e entidades parceiras. A doutora em fertilidade do solo da Empaer e uma das coordenadoras do evento, Maria Luiza Perez Villar, vai ministrar palestra sobre a fixação biológica de nitrogênio na cultura do arroz de terras altas, num trabalho inédito que utiliza a bactéria Azospirillum, que evita o uso de adubo nitrogenado e a contaminação do meio ambiente por nitrato, que polui as águas dos rios. Os testes estão sendo realizados nos campos experimentais da Empaer para verificar qual a cultivar mais receptiva à bactéria Azospirillum. As variedades testadas são: Primavera, Cambará, BRS-Sertaneja, Pepita, Cirad e Monarca. A bactéria Azospirillum para a cultura do arroz, segundo Maria Luiza, trará economia no custo de produção e ganho ambiental. Novos materiais estarão à disposição este ano. O curso abordará também os seguintes temas: Desafios do cultivo de arroz de terras altas em “áreas velhas”, no sistema de Plantio Direto, produção de arroz em “áreas velhas” dentro do sistema ILPF, influência da colheita e pós-colheita na qualidade de grãos do arroz, manejo das principais doenças, nematóides na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, espécies florestais nativas indicadas para ILPF no médio Norte de Mato Grosso – características e recomendações, cuidados na aplicação de fertilizantes, cultivo do consórcio com espécies florestais exóticas, identificação das principais doenças do arroz de terras altas no campo e outros. O curso é direcionado para pesquisadores, técnicos, produtores e empresários com orientações para melhorar a qualidade dos grãos produzidos e a produtividade, tornando a rizicultura mais competitiva, por meio de aprimoramento dos sistemas de produção com uso de inovações e capacitação. A abertura será na sexta-feira (01.04), a partir das 8h às 19h. No sábado (02.04), os participantes terão aula prática na Fazenda Dona Isabina, em Santa Carmem, às 7h30 e com encerramento às 13h.