Pular para o conteúdo
Voltar

Técnicos da Empaer elaboram diretrizes da bovinocultura leiteira para a agricultura familiar

Técnicos da Empaer elaboram diretrizes da bovinocultura leiteira para a agricultura familiar
Rosana Persona (Jornalista)

A | A
Para elaboração das diretrizes técnicas da bovinocultura de leite para a agricultura familiar, técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) estiveram reunidos nos municípios de Juína, Barra do Bugres e Sinop. Foi apresentado o diagnóstico da bovinocultura de cada município, enfocando a recuperação e reforma de pastagens, manejo do rebanho, padrão genético dos animais, doenças, medidas profiláticas adotadas e outros. O evento já reuniu cerca de 50 técnicos, que serão responsáveis na difusão de tecnologias para os agricultores. O médico veterinário da Empaer e Articulador Estadual da Cadeia Produtiva do Leite, João Batista Vechi, fala que o diagnóstico que os técnicos trouxeram de suas regiões contribuiu positivamente, mostrando a realidade das pastagens existentes, instalações e tipos de ordenhas, formas de transportes do leite e qualidade do produto para o consumidor. O veterinário e também palestrante durante as reuniões, orientou os técnicos com relação à alimentação dos bovinos, utilizando a cana-de-açúcar e ureia. Ele ainda mostrou a qualidade do plantel, leite, higiene na ordenha, armazenamento, características sobre o melhoramento e manejo genético do rebanho, principais doenças e sanidade dos animais. O Estado de Mato Grosso produz 1,3 milhões de litros de leite por dia e possui quatro bacias leiteiras nas regiões: Vale do São Lourenço, Oeste do Estado (Grande Cáceres), Norte do Estado e Médio Araguaia. O engenheiro agrônomo da Empaer, Osmar de Assis Alves, comenta que as reuniões já são realizadas há aproximadamente três meses, e a diretriz técnica poderá estar concluída no início de 2010. Assis ressalta que os técnicos trouxeram informações positivas sobre o controle e erradicação das doenças, como a brucelose e aftosa. “ A reunião está atingindo o seu objetivo que é proporcionar o nivelamento dos técnicos “, ressalta. Segundo Vechi, a bovinocultura representa uma das principais atividades econômicas para a agricultura familiar e vem enfrentando um problema na alimentação do rebanho. Vechi explica que uma vaca normalmente produz de 7 a 10 meses (período de lactação), e pode chegar a uma produção de até 10 litros de leite por dia, caso seja bem alimentada, com ingestão de forrageiras em quantidade e qualidade suficiente para atingir o seu potencial de produção. “Nas áreas de assentamentos, principalmente no período da seca, o rebanho bovino está passando fome e chega a atingir uma produção inferior a 3 litros de leite por dia. Para tentar mudar essa realidade é necessário informações sobre do rebanho leiteiro, alimentação, sanidade, reprodução e instalação, qualidade do leite por meio da ordenha higiênica e armazenamento para evitar contaminação por bactérias.” conclui João Batista. Hoje o produtor de leite tem que ficar atento às normas sanitárias e principalmente a Instrução Normativa 051, que regulamenta desde a coleta até a industrialização do leite. A diretriz técnica será mais um instrumento para orientar e informar sobre a atividade.