Pular para o conteúdo
Voltar

Técnicos fazem levantamento na comunidade indígena para cultivo de arroz

Técnicos fazem levantamento na comunidade indígena para cultivo de arroz
Rosana Persona (Jornalista da Empaer)

A | A
Para garantir o plantio da próxima safra de arroz de terras altas, a comunidade indígena da tribo Bakairi, das Aldeias Santana e Nova Canaã, em Nobres, reservou 3.400 quilos de sementes que serão plantadas no início das chuvas (novembro/dezembro). Os técncios da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Amarildo Sampaio Anchieta, Elias Queiroz e o engenheiro agronômo da prefeitura, Célio Fernando de Souza, estão fazendo o levantamento da área para o cultivo. A previsão é cultivar 22 hectares de arroz. Amarildo comenta que este projeto é pioneiro, começou no ano de 2012, com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que disponibilizou uma tonelada de sementes de arroz para o cultivo da variedade BRS Sertaneja. Numa área de 20 hectares, a primeira colheita rendeu mais de 42 toneladas, atingindo uma produtividade de 1.934 quilos por hectare. O pesquisador da Empaer, Valter Martins de Almeida, fala que a comunidade vai continuar recebendo acompanhamento técnico e orientações sobre época de semeadura, espaçamento, controle de plantas daninhas, manejo cultural, entre outras informações. A primeira colheita contou com a participação e ajuda dos produtores rurais, que cederam os implementos agrícolas. O projeto visa atender 40 famílias da comunidade indígena. Numa área de 36 mil hectares, a tribo Bakairi abriga 116 pessoas, que antes viviam tão somente da pesca, caça e agora estão plantando para garantir a subsistência e comercializando os excedentes. Em 5 mil metros quadrados, foram cultivados recentemente as culturas de mandioca, banana da terra, laranja e limão. Já está programada a implantação de duas hortas comunitárias para o cultivo de verduras e legumes. O projeto conta com a parceria do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Governo de Mato Grosso, Prefeitura de Nobres e Funai (Fundação Nacional do Índio).